Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Presos fazem motim em Silves

    O delegado não quis comentar sobre os prejuízos sofrido ao patrimônio público durante o princípio de rebelião - Divulgação

    Cerca de 20 presos da 40ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), que funciona como unidade prisional do município de Silves (distante 203 km em linha reta de Manaus) realizaram um princípio de rebelião no início da noite desta segunda-feira (27).

    De acordo com o delegado titular da 40ª DIP, João Manuel Filgueiras, a agitação dos detentos foi controlada cerca de 30 minutos após o início. “Não houve feridos e nem fugitivos. Conseguimos contornar a situação e evitar o pior”, destacou a autoridade policial.

    Ainda segundo Filgueiras, há suspeita de que o princípio de rebelião, conhecido como ‘batidão de grades’, tenha ocorrido para chamar a atenção de autoridades que, nesta terça-feira (28), vão participar de um evento judicial no município.

    “Será um evento com juízes e promotores para analisar a situação de processos no Tribunal do Júri da comarca. Acredito que os presos se empolgaram e decidiram realizar essa ação com o intuito de chamar a atenção”, completou o delegado.

    Para o policial civil e chefe de investigação da unidade policial, identificado como Carlos, a ação foi supostamente motivada por um detento, que está preso na delegacia de Silves, mas que já cumpriu pena na delegacia de São Sebastião do Uatumã (distante 246 km em linha reta da capital), onde foi apontado como autor do incêndio criminoso na unidade policial.

    “Esse infrator já ateou fogo em uma delegacia. Creio eu que ele seja o cabeça desse princípio de rebelião. O prendemos na semana retrasada pelo crime de tráfico de drogas. Na ocasião, ele tentava transportar drogas de Silves para Itapiranga (distante 225 km em linha reta de Manaus)”, explicou.

    Segundo informou Filgueiras, atualmente a delegacia de Silves conta com duas celas que funcionam como carceragem do presídio da cidade. “As celas devem comportar, cada uma, no máximo quatro detentos, mas atualmente há 20 presos dividindo essas celas”, revelou.

    O delegado não quis comentar sobre os prejuízos sofrido ao patrimônio público durante o princípio de rebelião.

    Isac Sharlon

    EM TEMPO