Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Vereadores derrubam aumento da tarifa de ônibus em Iranduba

    O valor da nova tarifa de R$ 4,80 passou a valer no dia 8 deste mês - EM TEMPO

    A Câmara Municipal de Iranduba aprovou, por unanimidade, nesta terça-feira (18), o projeto de autoria do Vereador George Reis (PV) que suspende o aumento da tarifa de ônibus no município, concedido pelo prefeito Francisco Silva, o ‘Chico Doido’ (DEM), de R$ 4,00 para R$ 4,75. O novo valor começou a ser cobrado aos passageiros no dia 8 deste mês.

    Além do aumento da passagem para a sede de Iranduba, a prefeitura reajustou a tarifa em outras cinco localidades da Região Metropolitana. Os percursos que sofreram alterações são: Cacau Pirera/Manaus/Cacau Pirera (R$ 2,75), Paricatuba/Manaus/Paricatuba (R$ 8,50), Açutuba/Manaus/Açutuba (R$ 8,50), Lago do Limão/Manaus/Lago do Limão (R$ 8,50) e Serra Baixa/Manaus/Serra Baixa (R$ 8,50).

    Após o aumento da tarifa, estudantes e a população em geral reclamaram e realizaram algumas manifestações para tentar inverter o quadro. A principal reclamação é sobre as condições dos ônibus que não coincidem com o valor cobrado pela tarifa.

    No dia que anunciou o aumento, o prefeito Chico Doido informou que a decisão foi necessária após as empresas, Expresso Iranduba e a Transkalina, que operam no município, fazerem requerimentos. O prefeito ainda afirmou que as despesas das empresas foram comprovadas por meio de planilhas de custos.

    Ainda durante o anuncio do reajuste, o prefeito informou que a mudança no valor ocorreu por conta das rotas feitas pelas empresas. Os ônibus, após atravessarem a ponte Phelippe Daou (antiga ponte do Rio Negro), devem seguir até a avenida Brasil, entrando na via à esquerda e fazendo o retorno na frente da sede do governo do Estado do Amazonas.  Os coletivos vão retornar para avenida Coronel Cyrillo Neves no sentido da ponte.

    Rafael Romano explicou que, diferente de Manaus, onde os empresários são isentos do Imposto sobre Circulação Mercadoria e Serviço (ICMS) e do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), em Iranduba, os donos dos veículos são isentos de apenas 2% no Imposto Sobre Serviços (ISS). Por conta disso, ele diz que o reajuste da tarifa é preciso.

    “Comparando com Manaus temos uma diferença muito grande, por isso, a passagem em Manaus é mais barata. Mas se fossem tirados todos os benefícios, o valor iria ficar, absurdamente, cara. Em Iranduba, a única taxa que somos isentos é 2% do ISS. Além disso, o fluxo de passageiros é muito menor comparado ao de Manaus. Isso tudo é motivo para o aumento. Além disso, tenho que aumentar em média de 8% a 12% os salários dos funcionários anualmente”, explicou Rafael Romano.

    Em ralação a suspensão da nova tarifa, o empresário informou que aguardará ser comunicado formalmente e irá esperar o posicionamento do prefeito.

    “Vou esperar o posicionamento dele. Vamos conversar e se entender da melhor forma possível. Estou no Iranduba para trabalhar e para prestar, na medida do possível, um bom serviço para a população”, falou Rafael. Ele destacou ainda que a questão de ônibus novos já estava sendo providenciada, mas com a instabilidade no valor da tarifa, ele vai aguardar mais um pouco.

    Ainda sem data prevista, os vereadores irão realizar uma audiência pública para discutir a precariedade dos ônibus. Dos 13 vereadores da Casa, 12 votaram a favor da suspensão. Apenas o vereador José Augusto de Souza ( PMDB), que está hospitalizado após passar por um procedimento cirúrgico, não participou da votação.

    A reportagem entrou em contato com o prefeito de Iranduba pelo número (92) 981XX-XX69, mas não obteve êxito. A assessoria de imprensa da prefeitura de Iranduba informou que o órgão municipal deve recorrer na Justiça sobre a decisão e fazer valer, novamente, o decreto com o aumento da tarifa.

    Mara Magalhães

    EM TEMPO