Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Usuário de drogas é morto dentro de casa no Jorge Teixeira

    O estoquista Gibson Moura Rodrigues, conhecido como "Casquinha", de 23 anos, foi assassinado com três tiros por volta das 23h da noite deste domingo (11), na rua Juca, loteamento João Paulo 2, bairro Jorge Teixeira, Zona Leste de Manaus.

    De acordo com a Polícia Civil, três homens, identificados apenas como Daniel, Felipe e Fernando, que comandam o trafico de drogas no bairro, invadiram o quarto onde "Casquinha" morava, no mesmo terreno da casa da família, e deram três tiros que acertaram o braço direito, o peito e o tórax da vítima.

    "A vítima tentou correr, se escondeu em um banheiro, mas os suspeitos pediram para ele sair e deram um tiro no braço dele. Depois pediram para ele deitar na cama e deram os outros dois tiros", contou um policial que preferiu não ter o nome divulgado.

    Segundo a família da vítima, Gibson havia acabado de chegar da casa da namorada, que fica no bairro Tancredo Neves, e estava lanchando no momento em que foi assassinado.

    "Ele tinha tinha dado comida pro cachorro, entrou pro quarto e deixou a porta aberta. Foi quando entraram e mataram ele. Ouvimos os tiros e depois encontramos ele jogado em cima da cama, ao lado do suco e da bolacha que ele estava comendo", contou um parente da vítima, de 43 anos, que preferiu não se identificar.

    A família da vítima informou também que Gibson era usuário de drogas e trabalhava para sustentar o vício. A suspeita da polícia é que ele foi morto por estar vendendo drogas em outro bairro.

    Ainda segundo a Polícia Civil, vizinhos da vítima informaram que o local vem sendo comandado por uma facção criminosa que implantou, inclusive, um toque de recolher na área.

    O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas Gibson não resistiu aos ferimentos e morreu antes de ser socorrido. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

    O caso deve ser investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

    Daniel Landazuri
    EM TEMPO