Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Confusão em venda de moto pode ter acabado em morte na Zona Leste

    Maciel foi encontrado morto na manhã da última segunda-feira (12), com um cinto enrolado no pescoço - Arthur Castro

    A família reconheceu, na manhã desta quarta-feira (14), o corpo do vendedor Rogério da Silva Maciel, de 32 anos, que foi encontrado estrangulado em um ramal da Zona Leste. A suspeita dos familiares é que o assassino de Maciel seja um homem que comprou uma motocicleta do vendedor. A vítima desapareceu na noite do último domingo (11).

    Maciel deixou esposa e dois filhos - Divulgação

    De acordo com a família de Rogério, a vítima vendeu uma motocicleta para um homem ainda não identificado. O comprador, além de não cumprir com os pagamentos combinados, havia repassado a moto para outra pessoa. Por isso, o vendedor queria desfazer o negócio.

    A esposa da vítima, Cecilia Valéria, de 33 anos, disse que Maciel saiu de casa com os documentos da moto, a chave do portão e a quantia de R$ 3 mil, que seria devolvida ao suspeito.

    "Estávamos deitados quando meu marido recebeu uma ligação por volta das 22h. O homem chamou ele até a esquina de casa e lá eles ficaram conversando. Meu marido queria desfazer o negócio porque esse homem já havia repassado a moto para uma terceira pessoa e não tinha terminado de pagar as parcelas para meu esposo", contou Cecilia.

    Após o desaparecimento, os familiares de Maciel chegaram a entrar em contato com o suspeito, que informou por telefone que havia deixado a vítima em frente a uma loja de eletrodomésticos, no mesmo bairro.

    "Ele me disse que meu marido queria sair para beber. Estranhamos, porque o Maciel não era de faltar ao trabalho, então fui na casa desse homem e a família dele me informou que ele viajou a trabalho", contou a esposa da vítima.

    Maciel foi encontrado morto na manhã da última segunda-feira (12), com um cinto enrolado no pescoço, no quilômetro 3 do ramal do Brasileirinho.

    "Queremos justiça, ele era trabalhador e não merecia ser morto dessa forma tão brutal", lamentou a esposa de Maciel, que a partir de agora vai criar os dois filhos do casal, um de 2 e outro 6 anos, sozinha.

    O celular e o dinheiro que estavam com a vítima não foram encontrados pela polícia. O caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

    Daniel Landazuri
    EM TEMPO

    Mais lidas

    1. Entenda como são feitas as buscas por vítimas de afogamento no Amazonas

    2. Procuradores repudiam ataques de defensor público no AM e divulgam nota

    3. Saiba como funciona a tarifa de esgoto em Manaus

    4. Aprovados no concurso do TJAM pedem nomeação e marcam protesto

    5. Evento internacional sobre reprodução de peixes será realizado em Manaus