Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Sinetram aciona Justiça para investigar paralisações de rodoviários em Manaus

    Greves de rodoviários serão investigadas- foto: - Daniel Landazuri

    O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) acionou as autoridades policiais para investigar quem estaria por trás dos movimentos paredistas do transporte coletivo, que vem ocorrendo com frequência em Manaus. O sindicato afirma que os rodoviários não estão com salários atrasados e que desconhece os motivos das paralisações. Na manhã desta sexta-feira (23), houve nova paralisação da empresa Líder, na capital. 

    Segundo o assessor jurídico do Sinetram, Fernando Borges, em seis meses, os rodoviários paralisaram 41 vezes, causando transtornos à população. Ele caracterizou como grave as paralisações.

    “Estamos passando por uma situação muito grave. Tivemos esse ano, 41 paralisações. Isso significa que 34 mil viagens não foram realizadas, causando prejuízo à população. As paralisações afetam o direito do cidadão de ir e vir, afetam estudantes e o comércio. Não é algo banal, estamos à beira de uma situação que pode se tonar insustentável. Não há o que justifique esse tipo de atitude, é uma afronta ao direito da sociedade”, disse

    Salários

    Conforme o assessor jurídico, os rodoviários do Amazonas contam com a segunda melhor remuneração do Brasil. As paralisações, segundo Borges, estão atrapalhando os trabalhos das empresas de transporte público que têm a obrigação de colocar os ônibus nas ruas para servir à população.

    “Essas paralisações não têm motivo. Os salários não estão atrasados. Manaus tem a segunda melhor remuneração do Brasil. Já houve o reajuste de 10% concedido em abril de 2017. Um motorista recebe em Manaus a quantia R$3.078,40, incluindo salário e benefícios, além de plano de saúde. A impressão que dá é que está havendo uma situação de calamidade no Sindicato dos Rodoviários, o que não é verdade. Os salários estão em dia, não há um dia de atraso. Então, o que justifica essas mais de 40 paralisações?", questionou.

    Fernando Borges, acrescentou que Manaus é única cidade no Brasil que sofrendo com paralisações no transporte coletivo.

    “Se pesquisarem, em outras capitais não vão encontrar uma cidade que esteja passando pela mesma situação que Manaus em relação ao transporte público. Vamos acionar as autoridades para saber quem está por trás e os reais motivos dessas paralisações”, finalizou.

    Paralisações

    Só nesta semana, rodoviários da empresa Lider paralisaram três vezes, sendo duas vezes  na quinta-feira (21). O fato prejudicou aproximadamente 60 mil pessoas da Zona Norte da cidade.

    Nesta manhã, os funcionários da Lider paralisaram os trabalhos novamente. Os funcionários afirmam que estão com os salários em dia, mas questionam a forma como os pagamentos estão sendo feitos.

    “Não estamos com os salários atrasados, mas queremos a mudança dessa financiadora, pelo constrangimento que passamos nos dias de pagamento. O dinheiro é sempre depositado com um ou dois dias de atraso e só podemos receber em caixas eletrônicos dessa financiadora, que não são muitos na cidade”, contou o motorista Edson Souza.

    A reportagem tentou entrar em contato com os representantes dos rodoviários por meio dos telefones XXXX 8110 e XXXX1608, mas até a publicação dessa matéria, as ligações não foram atendidas.

    Mara Magalhães
    EM TEMPO