Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Família pede ajuda para tratamento de jovem com leucemia em Manacapuru

    Maysa está internada desde o dia 9 de junho na Fundação Hemoam - Fotos: Arquivo/Família

    O agente de portaria Márcio Gamarra, de 34 anos, que antes corria com a bola no pé para balançar a rede do gol, agora compete contra o tempo para levantar fundos e garantir o conforto da filha, Maysa Oliveira Pereira, de 13 anos. Ela foi diagnosticada com Leucemia Linfoide Aguda (LLA) - câncer que atinge os glóbulos brancos do sangue, responsáveis pela defesa do organismo. A jovem está internada desde o dia 9 de junho, na Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam), em Manaus, onde recebe cuidados médicos.

    Gamarra, que é ex-jogador profissional do futebol amazonense e iniciou a carreira aos 17 anos no Princesa do Solimões, time de Manacapuru (a 69 km da capital), explica que a filha foi diagnosticada com a doença no mês passado e, desde então, por orientação médica, precisa construir um lugar digno e confortável para a filha passar pelo tratamento. Segundo ele, o procedimento deve durar entre dois ou três anos.

    Maysa no "mêsversário" do irmão mais novo

    "Sou pai de outras duas crianças, sendo um bebê de dois meses e outro de dois anos, que moram comigo e com a minha atual mulher [madrasta de Maysa]. O que eu ganho como agente de portaria dá para manter o sustento da minha família, mas hoje não é o suficiente para arcar com as despesas e cuidados que ela vai precisar quando receber alta e voltar para a casa. Então, diante disso, corri da sala para cozinha. Mobilizei alguns amigos, vizinhos, familiares e até empresários da época em que eu jogava profissionalmente, para, juntos, me ajudarem a fazer uma rifa", explicou.

    Leia também: Casal do AM usa site de Vakinha para conseguir armazenar células tronco e tratar filha com leucemia

    Ainda de acordo com Márcio, com a mobilização, ele já conseguiu algumas doações. "Recebi liquidificador, ventilador, bola, poltrona, sanduicheira, capacete, entre outros brindes, que irão compor a rifa. Tudo que eu arrecadar vai ser gasto no tratamento da minha filha. Desde a construção de um quarto adaptado para ela, até mesmo com viagens que ela fará à Manaus para dar continuidade ao tratamento da doença", justificou.

    A jovem Maysa, que atualmente cursa o 8º ano do ensino fundamental, é fruto de um relacionamento que Márcio teve quando ainda jogava futebol profissionalmente. Ele explica que a doença foi detectada após a filha apresentar sinais de fraqueza.

    "Ela apresentou várias vezes quadros intensos de infecção urinária. Levamos no hospital, onde ela sempre era medicada, tomava muito antibiótico e recebia alta. Foi quando notamos que ela queria ficar o tempo todo na cama, na maioria das vezes dormindo. Não tinha disposição para brincar com os amigos e nem se alimentar. Ela precisou retornar para o hospital municipal e, posteriormente, foi transferida para Manaus", contou Gamarra.

    O vigilante informou ainda que a filha foi imediatamente levada ao Hemoam, onde um hemograma completo revelou a doença. "Por orientação médica, Maysa foi internada com previsão de alta entre os dias 18 e 20 de julho. Os médicos disseram que, após receber alta, ela vai precisar repousar em um local limpo e confortável, para que nenhuma bactéria possa infectá-la. Ela está com a imunidade baixa. Com isso, tudo o que ela tinha, como cama, guarda roupas e até o ar-condicionado, foi descartado", destacou.

    A adolescente foi diagnosticada com Leucemia Linfoide Aguda (LLA)

    Segundo Gamarra, os médicos informaram que o tratamento inicial é feito com quimioterapia e deve durar cerca de 2 ou 3 anos. Mas, para isso, é necessário que o organismo de Maysa reaja ao tratamento. Caso isso não ocorra, ela será submetida a um transplante de medula óssea.

    Quem quiser colaborar financeiramente, ou de alguma outra forma, pode entrar em contato com os familiares dela pelos números: (92) 99354-2453 (Marcio Gamarra), (92) 99476-6040 (Sandra) e (92) 99110-4013 (Wellington). A rifa é vendida no valor simbólico de R$ 2 e o sorteio está previsto para acontecer no dia 22 de julho, no Clube do Operário, em Manacapuru.

    Isac Sharlon

    EM TEMPO

    Leia mais:

    Dois exames para detecção da leucemia são incorporados à tabela do SUS

    Inca retoma exames para pacientes com leucemia mieloide de outras unidades

    Após mobilização em redes sociais, menina de 8 anos morre vítima de leucemia