Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Cresce número de furtos de cabos elétricos e de água em Manaus

    Somente neste ano, já foram 20 registros feitos pela Manaus Ambiental, de acordo com o titular da delegacia especializada, Luiz Felipe Vasconcelos - Fotos: Arthur Castro

    Tão comum quanto urubu em lixão são os furtos de cabos elétricos de cobre da malha de energia de Manaus, bem como das bombas das estações de distribuição de água de Manaus e até mesmo tampas de ferro de bueiro. Apesar de as concessionárias não abrirem todos os números desse problema, os resultados negativos são percebidos nas horas sem os serviços de distribuição de energia elétrica e de água nas proximidades das ocorrências.

    Apenas os dados dos registros de ocorrências da Manaus Ambiental estão concentrados na Delegacia Especializada em Combate ao Furto de Energia, Água, Gás e serviços de Telecomunicação (DECFS). Somente no ano passado, a concessionária registrou 98 casos de furtos de cabos elétricos e equipamentos de poços artesianos e estações de distribuição. Neste ano, já foram 20 registros, segundo o titular da delegacia especializada, Luiz Felipe Vasconcelos.

    Na última ocorrência da Manaus Ambiental, mais de 60 mil pessoas de sete bairros das zonas Leste e Norte da cidade ficaram sem água na torneira, após o furto de cabos elétricos, na unidade de transferência do núcleo 23 da Manaus Ambiental, durante a madrugada do dia 2 de julho.

    Leia também: Dupla é presa suspeita de furtar cabos telefônicos nas Zonas Norte e Centro-Sul de Manaus

    Após o ocorrido, a concessionária explicou que a unidade, além de reservatório, é uma estação de transferência que recebe água das unidades de captação das pontas das Lages e do Ismael. Ela é responsável pelos bairros Mutirão, Braga Mendes, Alfredo Nascimento, Amadeu Botelho, Vila Nova e Nossa Senhora de Fátima 1 e 2.

    Geralmente o objetivo dos furtos dos cabos elétricos é a retirada do cobre para ser vendido como sucata

    Das ocorrências do ano passado, o delegado Luiz Felipe lembra que, somente no Centro de Produção de Águas Subterrâneas (Cpas) instalado no conjunto Villa da Barra, localizado no bairro Cidade Nova, Zona Norte, foram registrados 16 casos de Furtos de cabos causam falta de luz e de água em Manaus.

    De acordo com o titular da DECFS, geralmente o objetivo dos furtos dos cabos elétricos é a retirada do cobre para ser vendido como sucata. Outra possibilidade é por puro caso de vandalismo. “O lucro da venda é muito baixo, mas os prejuízos para a população são enormes, porque, até que se identifique onde está o problema, os consumidores passam horas sem o serviço. Só não é pior porque a própria população
    colabora”, explica.

    Luiz Felipe diz que, entre os registros das ocorrências deste ano, a estação da Villa da Barra ainda não apareceu. Ele observa que a delegacia tem passado os casos para os Distritos Integrados de Polícia (DIPs) para operar as investigações, o que tem rendido uma redução de 60% em média nos casos de furtos, em relação ao ano passado.

    Segundo o delegado, o lucro da venda é muito baixo, mas os prejuízos para a população são enormes

    Energia

    A Eletrobras Distribuição Amazonas informa que em 2016 registrou o total de apenas sete ocorrências. Já em 2017, até o dia 30 de junho, foram registradas duas. Na última quarta-feira (5), um caso que ainda não entrou nos registros da concessionária ocorreu horas antes da inauguração da nova ponte da avenida Loris Cordovil, no bairro Alvorada,
    Zona Centro-Oeste.

    Horas depois que a Eletrobras Distribuição Amazonas instalou novos cabos nas proximidades da obra da Prefeitura de Manaus, moradores relataram que, pela madrugada, homens não identificados acendiam fogo dentro do terreno da Ambev, próximo à nova ponte. “Eles cortaram os fios novos e, lá no terreno da Ambev, eles, com certeza, estavam queimando o plástico para retirar o cobre dos cabos”, relatou um morador que pediu para não ser identificado.

    Outros casos famosos de furtos de Dupla é presa em flagrante por furtar cabos elétricos da Ponte Rio Negro. Segundo a Secretaria de Estado de Desenvolvimento da Região Metropolitana (SRMM), de dezembro de 2015 a janeiro de 2016, foram
    registrados três casos.

    O maior prejudicado com os roubos dos cabos é a população

    A pasta informa que, no total, foram furtados 6,2 mil metros de fiação, o que deixou por várias vezes a ponte sem iluminação pública. Nas três ocorrências, a SRMM lembra que os novos cabeamentos foram reinstalados pela pasta, que na época respondia pela manutenção da iluminação viária. “E todo o sistema de iluminação da ponte foi restabelecido e os furtos foram registrados em boletins de ocorrências na Polícia Civil”, informa a secretaria.

    Segundo a Eletrobras Distribuição Amazonas, nos últimos 2 anos foram furtados 505 metros de cabos elétricos. Enquanto que, em 2015, a companhia registrou a perda de 480 metros de cabos de 15 quilovolt (kV) e 13,8 kV, ambos de

    Emerson Quaresma

    EM TEMPO

    Leia mais:

    Dupla é presa em flagrante por furtar cabos elétricos da Ponte Rio Negro

    Furtos na iluminação pública geram prejuízo mensal de até R$ 100 mil

    Dupla é presa em flagrante por furtar cabos elétricos da Ponte Rio Negro