Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Banhistas estão de olho em segurança e qualidade de balneários em Manaus

    Os recintos particulares são licenciados pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas- Foto: Ione Moreno

    Com a chegada do “verão amazônico”, o número de pessoas em balneários públicos e privados de Manaus aumenta. Consequentemente, os cuidados básicos com a qualidade da água, equipamentos de segurança e outras questões ambientais que possam contribuir para uma diversão tranquila também são intensificados.

    Atualmente, a prefeitura vem monitorando os principais balneários de Manaus para saber se todos estão aptos a receber a grande demanda de banhistas nestes meses de calor intenso.

    Das recentes avaliações feitas em recursos hídricos aptos para banho em 12 pontos da cidade, apenas um apresentou resultado insatisfatório.
    O município ressaltou que a coleta de amostra da água nesses locais é feita ao longo de cinco semanas consecutivas, todos os meses, por servidores do monitoramento da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas).

    O trabalho atende a uma determinação da Resolução 274/2000, do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama). Entre os pontos fiscalizados estão a Ponta Negra, Praia Dourada, Tarumã Açu-Prainha, praia da Lua, praia do Arrombado e praia do Tupé.

    Conforme informações da Semmas, após as coletas, as amostras de água são encaminhadas em frascos para o laboratório do departamento de Vigilância Sanitária, onde são feitas as análises químicas e bacteriológicas.

    O trabalho é importante pois verifica se os principais balneários da cidade se encontram na condição apropriada para uso
    da população.

    De acordo com a última análise, dos meses de maio e junho, dos 12 pontos que tiveram a água analisada, apenas a Prainha, no Tarumã, se apresentou fora dos padrões de balneabilidade.

    Das cinco amostras de água coletadas, três delas continham coliformes termotolerantes acima do nível máximo permitido, ou seja, 60% das amostras indicaram as águas do balneário como impróprias. Os demais pontos avaliados estão 100% aptos pra banho.

    Os recintos particulares são licenciados pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) e devem apresentar ao órgão o resultado das análises feitas pelo proprietário.

    Neste momento, a Divisão de Monitoramento da Semmas trabalha na coleta para as análises de julho/agosto.O procedimento é interrompido quando ocorrem chuvas, que modificam a composição da água dos cursos d’água.

    Gerson Freitas
    EM TEMPO