Fonte: OpenWeather

    Dia A Dia


    Casal é preso por desvio de R$ 6 milhões da Unimed em Manaus

    O casal foi localizado em uma casa, localizada no bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus, nesta sexta-feira (10) - Michael Dantas

    Marineide do Vale Maia, de 33 anos, e o companheiro dela, Renildo da Cruz Teixeira, de 37 anos, foram apresentados, na manhã desta quarta-feira (11), durante coletiva de imprensa realizado pela Polícia Civil do Amazonas (PC-AM). Eles são suspeitos de envolvimento no esquema milionário de lavagem de dinheiro do hospital Unimed em Manaus. O casal foi localizado na casa dos pais de Renildo, situada no bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus, nesta sexta-feira (13).

    Leia também: Presa assistente administrativa envolvida em desvio de 6 milhões da Unimed em Manaus

    De acordo com o delegado titular do 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Rafael Guevara, Marineide, que era supervisora financeira da empresa, junto com Flávio Lavareda Leão, que era gerente administrativo e Diego da Silva Martins, ambos foragidos, criavam empresas fantasmas que, teoricamente, prestavam serviços ao hospital.

    "Os pagamentos eram depositados nas contas de Renildo, Alexandre Holanda do Nascimento, companheiro de Flávio; e Rita de Cássia Bentes Martins, companheira de Diego; que não eram funcionários da empresa. Alexandre e Rita continuam foragidos", detalha Guevara.

    Para o delegado Guevara, o casal criava empresas fantasmas que, teoricamente, prestavam serviços ao hospital - Michael Dantas

    Segundo o delegado, pouco mais de R$ 1,3 mi, dos quase R$ 6 mi desviados, foram transferidos a uma conta vinculada ao CPF de Renildo. "Eles continuaram no mesmo endereço, mas em contrapartida, reformaram a casa por completo, com piscina, área de churrasqueira, coisas que não eram compatíveis ao salário deles", disse. O delegado ainda afirmou que Marineide disse que vai colaborar com as investigações no momento oportuno, mas adiantou que não era a chefe da organização criminosa.

    Das sete pessoas envolvidas no caso, três já foram presas pela polícia: Marineide, Renildo e Silvia Borges Nogueira, de 35 anos, que era assistente administrativa na empresa e foi presa no último dia 26 de setembro.

    Marineide foi encaminhada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDMP) e Renildo ao Centro de Detenção provisória Masculino (CDMP). Eles vão responder pelos crimes de furto qualificado, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

    Nota da Unimed

    A Unimed divulgou nota nesta quarta (11) em que ressalta que manteve o silêncio durante o período, pois as investigações ocorreram em Segredo de Justiça. "Continuaremos a contribuir com todas as informações necessárias e reiteramos nossa confiança no trabalho que vem sendo feito pela polícia para a resolução do caso", destaca o comunicado.


    Édria Caroline
    EM TEMPO

    Leia mais:

    Unimed Manaus confirma que usuário estão sendo atendidos normalmente

    Unimed demite médico que fez comentários sobre Marisa Letícia

    Unimed Manaus inaugura posto de coleta de leite materno

    Mais lidas

    1. Entenda como são feitas as buscas por vítimas de afogamento no Amazonas

    2. Procuradores repudiam ataques de defensor público no AM e divulgam nota

    3. Saiba como funciona a tarifa de esgoto em Manaus

    4. Aprovados no concurso do TJAM pedem nomeação e marcam protesto

    5. Evento internacional sobre reprodução de peixes será realizado em Manaus