Fonte: OpenWeather

    AGRICULTURA FAMILIAR


    Crédito aberto para produtos do setor de duas rodas

    O Pronaf oferecerá linhas de financiamento com prazos de até 120 meses, ou seja, 10 anos, e taxa de juros que variam entre 2,5% e 5,5% ao ano

    Termo de cooperação entre Abraciclo e Casa Civil inclui o setor no Pronaf. | Foto: Divulgação

    Manaus - A Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) e a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), vinculada à Casa Civil da Presidência da República, assinaram na quinta-feira (17), em São Paulo, novo acordo de cooperação técnica para viabilizar o cadastramento de produtos do setor de Duas Rodas nas operações de financiamento do programa Pronaf Mais Alimentos, da agricultura familiar.

    A partir deste ano, as associadas da entidade poderão comercializar motocicletas, quadriciclos, motores de popa e produtos de força (motores estacionários), de fabricação nacional, com condições especiais de financiamento para as famílias agrícolas.

    Leia também: Produção de bicicletas do PIM registra aumento de 24,5% em abril

    Atualmente, o Pronaf oferece linhas de financiamento com prazos de até 120 meses (10 anos), carências de até 36 meses (3 anos) e taxa de juros que variam entre 2,5% e 5,5% ao ano. As linhas são operacionalizadas pelo Banco do Brasil. 

    Segundo Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, “os produtos do setor de Duas Rodas já são utilizados no ambiente rural e, portanto, podem ser potencializados diante do fato do Pronaf Mais Alimentos contar com cerca de 4 milhões de famílias agrícolas cadastradas”.

    De acordo com a Abraciclo, a fabricação nacional de motocicletas, é quase toda concentrada no Polo Industrial de Manaus (PIM), e está entre as oito maiores do mundo.

    Leia mais: Produção de motocicletas em Manaus tem alta de 37,3% em abril

    Produção de motos cresce 12,2% no primeiro trimestre, no Amazonas

    Mercado de trabalho aquecido no setor da aviação na região Norte