Fonte: OpenWeather

    Covid-19


    Conheça 'hotel office', uma saída para o setor hoteleiro na pandemia

    De hospedagem a escritório privado, conheça uma das estratégias adotadas para driblar a pandemia e mais novo concorrente dos coworkings

    Hotel Office é opção para quem precisa de conforto e privacidade para trabalhar
    Hotel Office é opção para quem precisa de conforto e privacidade para trabalhar | Foto: Rebeca Mota

    Manaus - Com o número de hóspedes bastante reduzidos devido às restrições de viagem, causadas pela pandemia da Covid-19, redes de hotéis têm buscado novos usos para seus quartos vazios. O hotel Intercity Manaus converteu seus quartos desocupados em escritórios privados para quem precisa de um espaço melhor para o home office neste período do coronavírus.

    Novidade durante a pandemia

    A iniciativa é pioneira no Brasil e procura usufruir dos quartos que ficaram livres nos hotéis, durante a pandemia, transformando estes no espaço ideal para o home-office. Em Manaus, o Intercity é o primeiro a oferecer este tipo de serviço. 

    O cliente terá a sua disposição mesa de trabalho, wi-fi de alta velocidade, room service e acesso à impressora e scanner
    O cliente terá a sua disposição mesa de trabalho, wi-fi de alta velocidade, room service e acesso à impressora e scanner | Foto: Divulgação

    De acordo com o gerente geral da Intercity Hotels, Aleo Almeida, é possível usufruir do serviço a partir de R$ 50 com um ambiente seguro e confortável, Wi-Fi, bancada de trabalho, room servisse, serviço de escaneamento e impressão.

    “Muitas pessoas, principalmente os profissionais liberais, procuram um local para fazer suas atividades e às vezes nem sempre eles podem fazer nas empresas que trabalham devido algumas estarem fechadas por conta da pandemia. Outros preferem realizar seus trabalhos em um ambiente fechado e reservado. Então, hoje nós estamos proporcionando e oferecendo um espaço para isso”, conta Aleo.

    Sete pessoas já contrataram o novo serviço
    Sete pessoas já contrataram o novo serviço | Foto: Rebeca Mota

    Sete pessoas já contrataram o novo serviço, entre os profissionais estão os advogados. “Temos advogados aqui que precisaram ir ao Fórum e tinham que fazer uma petição. A nossa única exigência é que fique uma pessoa por apartamento”.

    Queda de 80% no setor

    O gerente ainda revela que durante a pandemia, a rede de hotel Interciy teve queda de 80% da ocupação. “Caímos 80% da ocupação. E ainda não estabilizou. Estamos estabilizando gradativamente. E acreditamos que em até novembro vamos recuperando gradativamente”, destaca.

    De acordo com o gerente do hotel Intercity, Aleo Almeida, durante a pandemia o local teve queda de 80% de sua ocupação
    De acordo com o gerente do hotel Intercity, Aleo Almeida, durante a pandemia o local teve queda de 80% de sua ocupação | Foto: Rebeca Mota

    Para Aleo, o novo serviço não é algo ‘salvador’ para o hotel, mas agregará a outros serviços existentes no espaço.

    “Dependemos de malha área. Quando começar a retomar, nós retomamos também. Hoje você já consegue observar famílias, executivos. Mas o mês de abril foi muito complicado”, ressalta Almeida

    Segurança

    Foi adotado o peróxido de hidrogênio para a limpeza diária e constante dos apartamentos
    Foi adotado o peróxido de hidrogênio para a limpeza diária e constante dos apartamentos | Foto: Rebeca Mota

    Foi adotado o peróxido de hidrogênio para a limpeza diária e constante dos apartamentos. Segundo o gerente geral, o Intercity é o único hotel do Brasil que instalou o equipamento para fazer a limpeza dos quartos.

    Entrada do hotel
    Entrada do hotel | Foto: Rebeca Mota

    “Este equipamento mata 98% de todas as bactérias. Ele fica 30 minutos no apartamento enquanto a camareira está no apartamento limpando tudo que se possa imaginar, como bactérias e fungos. Este é um aparelho caro e internacional. Estamos seguindo todas as normas de segurança. Não adianta parecer seguro, tem que ser seguro”, revela.

    O hotel também tem placas, adesivos e cartazes de orientação quanto à segurança do hotel. Além disso, é disponibilizado álcool em gel para funcionários e hóspedes e é obrigatório o uso de máscaras.

    Dia dos Namorados

    O Intercity adotou todos os protocolos de segurança na alimentação
    O Intercity adotou todos os protocolos de segurança na alimentação | Foto: Rebeca Mota

    No Dia dos Namorados o hotel teve uma ocupação de 50%. O local dispôs de uma programação diferenciada com decoração e um ambiente personalizado com pratos individuais. “Tivemos 140 hóspedes na data”.

    Segundo o gerente geral, o objetivo é que o hotel esteja sempre seguro para receber os hóspedes. “Queremos que as pessoas se sintam em casa”.

    "Se não tem passageiros, elas não voam com avião vazio"

    O setor hoteleiro somente em Manaus tem uma oferta de 5 mil Unidade Hoteleira (UH)
    O setor hoteleiro somente em Manaus tem uma oferta de 5 mil Unidade Hoteleira (UH) | Foto: Rebeca Mota

    O setor do turismo, que envolve desde companhias aéreas até hotéis, é um dos mais afetados no Brasil. Pesquisa Ambiente de Negócios do Turismo para Recuperação Pós Covid-19 realizada no mês de abril ouviu empresas do setor confirmou uma redução média do faturamento de 65,78% no comparativo do primeiro quadrimestre de 2020 e 2019. A redução no caso de agências de turismo chegou a 72,09%, e de 70% nos meios de hospedagem. A Pesquisa Raio X do Turismo Frente à Covid-19, coordenada pela Rede Observatório de Turismo da Universidade do Amazonas, em parceria com Amazonastur e demais órgãos, também aponta a súbita retração causada pela pandemia com o mês de março como o período onde o faturamento passou a ser mais comprometido.

    O setor hoteleiro somente em Manaus tem uma oferta de 5 mil Unidade Hoteleira (UH). De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Amazonas (Abih-AM), entre o final de 2019 e início de 2020, o Amazonas registrou taxas de ocupação no setor hoteleiro de 26% a 30%. Até então uma das taxas mais baixas do estado. O que estava ruim ficou ainda pior com avanço da covid-19. Nos meses de abril e maio, a ocupação média das unidades hoteleiras foi de 8%.

    "Em Manaus fomos muito afetados pela diminuição da oferta das companhias aéreas. Se não tem passageiros, elas não voam com avião vazio. Começou esses cortes nas companhias aéreas e ficaram poucos voos, os que permaneceram foram com conexões longas”, disse Roberto Bulbol, presidente da Abih-AM, em entrevista ao Toda Hora.

    Leia Mais

    Home office em hotel? Quartos vazios viram escritórios no AM

    Selo de turismo certificará higiene e prevenção contra a Covid-19