Consumo


Isolamento social leva famílias a repensar despesas em casa

Ficar em casa todos juntos implica em gastar mais água, energia elétrica e mantimentos. Em 15 dias de quarentena as famílias já sentem no bolso o gasto a mais

Com a incerteza para os próximos meses, os amazonenses precisaram reter seus gastos e rever os consumos domésticos | Foto: Lucas Silva

Manaus - Com a crise ocasionada pelo novo coronavírus (Covid-19), no Amazonas, que precisou de medidas de distanciamento social, as famílias que decidiram seguir à risca o isolamento, estão precisando repensar os custos de casa. Muitos produtos e serviços sofreram reajuste de preço durante a pandemia e a renda da maioria da população diminuiu consideravelmente. Com a incerteza para os próximos meses, os amazonenses precisaram reter seus gastos e rever os consumos domésticos para que a pandemia não prejudique ainda mais a qualidade de vida.

Com a maioria dos membros da família em casa, os trabalhadores precisaram economizar em muitos recursos e até mesmo mudar hábitos. Este foi o caso do servidor público Leandro Oliveira, que reside com seus três filhos e precisou mudar os hábitos e controlar as despesas após sofrer reajuste na renda mensal. Onde ele trabalha, a empresa decidiu diminuir o salário de todos os funcionários em 50%, para conseguir manter o CNPJ ativo.

Leandro diz que todos sentiram dificuldades em aceitar os novos hábitos, mesmo que temporários
Leandro diz que todos sentiram dificuldades em aceitar os novos hábitos, mesmo que temporários | Foto: Lucas Silva

“Com isso, os hábitos em casa precisaram mudar. Muitas vezes, por estarmos em casa ligamos vários aparelhos domésticos ao mesmo tempo e quando nos damos conta, a conta de luz foi lá para cima. Então passamos a diminuir o consumo da televisão, ar-condicionado, carregadores e até mesmo o consumo alimentar das crianças que aumentou devido à falta de entretenimento”, ressalta o servidor público.

Os hábitos também mudaram na residência da doméstica Heloísa Barbosa, após o marido perder o emprego durante a pandemia. Ela conta que mesmo antes das medidas de isolamento social, a família já buscava economizar em tudo. A pandemia, segundo ela, fez a família aumentar os cuidados com desperdícios em todos os setores, desde os alimentos no supermercado, até recursos como energia e água.

“Precisamos economizar em tudo e se adequar. Agora o ar-condicionado só pode ser ligado depois das 22 horas e de manhã cedo eu desligo. Substituímos o leite líquido pelo em pó e passamos a desligar muitos aparelhos domésticos da tomada a noite, inclusive estamos optando por assar a carne e o frango na brasa para economizar o gás que teve um aumento absurdo no valor”, enfatiza Heloísa.

Conscientizar os filhos

Leandro explicou que, no início das mudanças, os filhos demoraram a se acostumar, mas com as orientações feitas por ele, as crianças precisaram aceitar os novos horários e hábitos.

"Houve uma resistência por parte dos filhos, até mesmo devido à falta de informação sobre o momento. Todos eram acostumados a ligar e consumir tudo ao mesmo quando estavam em casa. Infelizmente a situação não permite que continue assim, mas com o tempo a adaptação aos novos hábitos começa a aparecer", disse Leandro.

Renda Extra

Ambos os trabalhadores precisaram investir em outros negócios para complementar a renda durante a pandemia. Leandro analisou um crescimento no setor de delivery e decidiu investir. Antes da pandemia ele chegou a montar um serviço de bebidas para eventos, o Art’s Drinks e com a suspensão das atividades comerciais, ele precisou migrar para o delivery, com vendas pelo pela rede social (@arts_drinks).

Para obter renda extra, Leandro investiu na venda de drinks pela internet, com entrega em casa
Para obter renda extra, Leandro investiu na venda de drinks pela internet, com entrega em casa | Foto: Lucas Silva

“Em toda crise quando um serviço fica prejudicado outro se sobressai. Agora estou realizando entregas de drinks alcoólicos e não alcoólicos para as pessoas se divertirem em casa durante as lives. No Dia das Mães nós fizemos cestas de bebida como opção para presente e tivemos uma ótima aceitação. Agora estamos preparando novidades para o Dia dos Namorados e assim vamos se adaptando para sobreviver à crise da pandemia”, afirma o servidor público.

Já, Heloísa, investiu no setor de alimentação, que segundo ela, é um ramo que traz retorno em meio à crise. “Com a falta de recurso financeiro em casa, a minha ex-cunhada me deu uma oportunidade de começar um negócio. Decidimos abrir uma peixaria que funciona aos fins de semana e apesar de ser nova, temos uma boa demanda. Ainda não conquistamos clientes fixos, mas no momento está sendo a nossa principal fonte de renda para sustentar a nossa família. Tenho certeza que quando tu passar vai dar mais certo ainda”, diz a dona de casa.

A dona de casa Heloísa Barbosa mudou hábitos e investiu em uma pequena peixaria
A dona de casa Heloísa Barbosa mudou hábitos e investiu em uma pequena peixaria | Foto: Arquivo Pessoal

Cuidado

Para o economista Ediberto Rodrigues, durante a crise estabelecida pela pandemia a calma e o planejamento são fundamentais para que a população supere esse momento. De acordo com ele, por mais que pareça difícil, ainda existem opções de obter renda extra neste cenário de crise.

“Pode parecer clichê, mas as vendas pela internet são bons investimentos neste período. Se você tem algo que não usa ou não lhe serve mais, pode ser útil para alguém. Outra opção é que se você toca algum instrumento ou domina outro idioma e tem uma boa didática, pode oferecer seus serviços on-line”, recomenda.

Rodrigues também alerta aos consumidores que estejam com baixa renda, para que sejam conscientes sobre os gastos com serviços não essenciais. “É possível observar que devido ao isolamento, não estamos gastando com transporte, mas devemos ter cuidado ao extrapolar com os gastos em serviços de entregas para que no fim do mês isso não se torne um problema”, explica Ediberto.

O economista diz ainda que, a pandemia também será uma oportunidade para os hábitos sejam mudados ao longo de vida financeira e também social.