Expectativa e Realidade


Movimento de Natal, mas vendas ainda medianas no Centro de Manaus

Apesar do grande número de consumidores nas ruas, na reabertura, o balanço é de vendas em volume mediano

CDL-Manaus aponta que apenas 45% das lojas voltaram no primeiro ciclo de retomada | Foto: Lucas Silva

Manaus - A primeira semana de reabertura do comércio e dos serviços não essenciais de Manaus trouxe movimentação de final de ano, em pleno mês de junho, de acordo com lojistas e consumidores. Contudo, segundo vendedores e o presidente da Câmara de Dirigentes de Lojistas de Manaus (CDL-Manaus), Ralph Assayag, as vendas não foram tão significativas.

De acordo com Assayag, somente 45% das lojas retomaram as atividades comerciais no primeiro ciclo e, por isso, o balanço geral do comércio ainda está mediano. Todos esperam que, até o final do mês, as vendas melhorem.

Apesar dos muitos consumidores com sacolas nas mãos, lojistas dizem que vendas ainda são baixas
Apesar dos muitos consumidores com sacolas nas mãos, lojistas dizem que vendas ainda são baixas | Foto: Lucas Silva

A consumidora Meiry de Oliveira, 37 anos, diz que ficou surpresa com a quantidade de pessoas no Centro da cidade. "Eu resolvi passear um pouco, dar uma olhada no comércio em geral, e me surpreendi com o intenso fluxo de pessoas. Nessa primeira semana, eu não comprei quase nada", salienta.

Leia mais: Lojistas reabrem as portas de olho nas vendas para o Dia dos Namorados

Meiry também aproveitou o momento para analisar os preços. “Acho que os valores estão na média, mesmo que algumas lojas estejam fazendo promoções. Eu entendo a necessidade de recuperação do setor. Não é tão fácil deixar tudo barato”, ressalta.

A gerente de uma das lojas do Grupo Tvlar em Manaus, Jomara Tavares, 32 anos, afirma que a semana foi intensa e apresentou ótimos resultados econômicos. “Antecipamos esse momento e abastecemos a loja com vários produtos. Com essa organização, conseguimos recuperar uma parte do nosso faturamento, mas ainda temos um longo caminho pela frente”, declara.

Presidente da CDL-Manaus diz que muitos desistem de comprar por conta do controle na entrada das lojas
Presidente da CDL-Manaus diz que muitos desistem de comprar por conta do controle na entrada das lojas | Foto: Lucas Silva

Segundo Jomara, todas as recomendações de saúde estão sendo seguidas à risca pelos funcionários do grupo. “Na entrada da loja temos banners com orientações e estamos sempre oferecendo álcool em gel. Reparei que, ao longo da semana, os próprios clientes estavam sendo mais conscientes e fazendo corretamente o uso de máscaras e proteção”, revela.

Leia mais: Sem usar máscaras, consumidores estão sendo barrados no Centro

O proprietário da Inter Fashion Confecções, Laureny André Mafra, 40 anos, conta que não sentiu uma queda tão grande em suas vendas durante a paralisação do comércio, pois se preparou para fazer entregas a domicílio para suas clientes mais fiéis. “Como elas já são mais idosas, resolvi fazer entregas. Nesse momento, mesmo com a reabertura, não estou aconselhando que elas compareçam ao local, pois penso no risco que isso significa para elas”, relata.

Uso de equipamentos de proteção individual é obrigatório para vendedores e consumidores
Uso de equipamentos de proteção individual é obrigatório para vendedores e consumidores | Foto: Lucas Silva

De acordo com Laureny, o movimento presencial não foi tão agitado na sua loja, mas já representou um bom recomeço para as vendas. Além disso, ele afirma que todos os cuidados de saúde estão sendo tomados para que, nas próximas semanas, mais clientes possam comparecer ao local.

“Contratei um infectologista e ele veio aqui repassar todos os procedimentos para os funcionários. Só permitimos a entrada de máscaras e sempre que alguém usa o provador, nós fazemos uma limpeza. Estamos fazendo de tudo para não aglomerar a loja também”, explica.

A administradora na loja Rima Fashion, Marivalda Damião, 46 anos, diz que a semana foi muito movimentada, mas que muitos consumidores aproveitaram só para olhar os produtos. “Percebo que muita gente vem aos bancos que temos aqui no Centro para tirar dinheiro e aproveitam para passar nas lojas e dar uma olhada”, observa.

Algumas lojas do Centro aproveitaram para fazer promoções na primeira semana
Algumas lojas do Centro aproveitaram para fazer promoções na primeira semana | Foto: Lucas Silva

Segundo ela, as expectativas estão altas para as próximas semanas, uma vez que várias mercadorias da loja estarão ainda em promoção. “Nós tivemos muitas dificuldades quando estávamos fechados e a gente espera que as pessoas se sensibilizem com essa reabertura e venham realmente comprar e ajudar os trabalhadores do comércio”, comenta.

Balanço total

O presidente da CDL-Manaus, Ralph Assayag, reconhece as vendas ainda não estão sendo efetivas. “As pessoas estavam querendo sair de casa e, por vezes, preferem passear pelo comércio do que comprar. Outro detalhe é que, como os lojistas não podem permitir aglomerações, as filas crescem e as pessoas desistem das compras. Além disso, os bancos também ajudam na confusão em meio a quantidade de pessoas ao redor dos centros comerciais”, avalia.

Leia mais: Empresários esperam que CMM aprove suspensão de feriados em Manaus

Assayag diz esperar que a curva do novo coronavírus se mantenha queda, como tem ocorrido nas últimas semanas, o que permitirá a manutenção da atividade comercial em Manaus. “Esperamos que até o fim do mês os casos e óbitos da Covid-19 não aumentem, porque aí teremos 90% das lojas abertas e poderemos apresentar um relatório mais preciso”, assegura.

O presidente da CDL-Manaus observa que, se existir uma recuperação para o setor ainda em 2020, ela só será percebida a partir de setembro. Segundo Ralph, no momento em que os comerciantes conseguirem fazer novas contratações, significará que a crise estará sendo deixada para trás. “O que pedimos é que os lojistas não demitam ninguém nesse momento. Precisamos de pessoas trabalhando nessa reabertura”, afirma.

Veja ainda: Motéis buscam recuperar prejuízos da pandemia no Dia dos Namorados