Fonte: OpenWeather

    Economia


    Levy diz a agricultores familiares que “governo está aberto a dialogo”

    Ministro da Fazenda recebeu os agricultores, um dia depois das manifestações da 11ª Jornada Nacional de Lutas em Defesa da Agricultura Familiar – foto: Antônio Cruz/ABr
    Ministro da Fazenda recebeu os agricultores depois dos protestos da 11ª Jornada Nacional de Lutas em Defesa da Agricultura Familiar – foto: Antônio Cruz/ABr

    O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, reuniu-se com lideranças da Federação Nacional dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Fetraf) para receber a pauta de reivindicações da entidade, que promove um protesto desde o início da manhã desta terça (19), em frente ao ministério.

    Assim que chegou, Levy foi ao encontro dos manifestantes para ouvir as reivindicações e dizer que o governo está aberto ao diálogo. Logo em seguida, entrou no prédio para conversar com alguns representantes da Fetraf.

    Após a reunião interna, os representantes da Fetraf desocuparam o prédio. Eles foram informados por representantes da federação que se reuniram com Joaquim Levy que haverá uma reunião, às 11h30, com os ministros da Fazenda; do Desenvolvimento Agrário (MDA), Patrus Ananias, e da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto, para tratar das reivindicações.

    Levy conversou com os agricultores familiares por cerca de 30 minutos, na entrada principal do ministério. Joaquim Levy estava acompanhado por um pequeno aparato de seguranças. Logo em seguida, ele entrou acompanhado do coordenador-geral da Fetraf, Marcos Rochinski, e de outros representantes da federação.

    "Vim aqui trazer a mensagem que o governo brasileiro tem canais institucionais para responder às reivindicações. Então, temos que ajudar esses canais institucionais. Há disposição para conversar, particularmente no Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), para vermos qual é a pauta. Ainda não sei qual é a pauta”, disse Levy na conversa com os agricultores familiares, ainda do lado de fora do Ministério da Fazenda.

    "Vida difícil"

    Conforme o coordenador-geral da Fetraf, Marcos Rochinski, durante a reunião “o ministro se mostrou sensível às reivindicações, mas foi enfático que só pode negociar junto com o MDA, não dá para negociar sozinho. Disse, ainda, que a vida está difícil e que ajustes são necessários, mas se dispôs a tratar a questão com o MDA”.

    Na segunda (18), os agricultores fecharam três rodovias federais que dão acesso ao Distrito Federal. As manifestações fazem parte da 11ª Jornada Nacional de Lutas em Defesa da Agricultura Familiar.

    O coordenador-geral da Fetraf, Marcos Rochinski, disse nessa segunda-feira que o objetivo das manifestações é chamar a atenção do governo e da sociedade à necessidade de manutenção dos recursos para programas de agricultura familiar e reforma agrária.

    Segundo ele, os agricultores temem que programas para a área sofram cortes de recursos com o contingenciamento do Orçamento, que deve ser anunciado esta semana pelo governo federal.

    Por Agência Brasil (ABr)