Fonte: OpenWeather

    Economia


    Em Manaus, mercado fitness é aposta de empreendedores

    Com preços voltados para um público variado, a Jump Fitness oferece moda praia e de academia- foto: divulgação
    Com preços voltados para um público variado, a Jump Fitness oferece moda praia e de academia- foto: divulgação

    A crise econômica parece passar longe do mercado fitness e de nutrição esportiva. Prova disso é que o Brasil responde hoje como a segunda maior economia mundial nesse setor, perdendo apenas para os Estados Unidos. Conforme dados mais recentes do IHRSA Global Report (entidade internacional do fitness), em um ano o país teve crescimento de 31,48% no número de academias, alcançando a faixa de 30,76 mil estabelecimentos. Como uma rede em cadeia, o cenário propicia o aumento de produtos e serviços relacionados à boa forma e à prática de atividades físicas.

    O Amazonas Shopping conta com uma série de operações com foco neste segmento, como o caso da recém-inaugurada Jump Fitness, primeiro empreendimento da empresária Ludmila Feitosa. Para a elaboração do projeto, localizado no primeiro piso do centro de compras, foram investidos em torno de R$ 250 mil.

    De acordo com Ludmila, a loja foi criada apostando no crescimento do mercado e com intuito de aumentar o leque de opções relacionadas à moda fitness. “Resolvi criar um ambiente onde os clientes pudessem encontrar peças que realmente os agradassem, com uma grande variedade de estilos e preços”, destaca.

    Com intuito de atender a um público diversificado, a Jump Fitness conta com vitrines expondo roupas fitness e moda praia com preços que variam de R$ 29,90 a R$ 450 - no caso das botas para treino.

    O retorno tem sido positivo, tanto que já existe projeto em andamento para a abertura de uma nova unidade, no próximo ano, e possível ampliação da loja no Amazonas Shopping. “O público gostou das novidades trazidas. Temos marcas que muitos não conheciam e passaram a gostar, o que faz com que retornem à loja”, observa Ludmila.

    Suplementos

    Quem também se integra ao ramo de cuidados com a saúde e o corpo é a Big Way, inaugurada em março deste ano. O empresário Aurelindo Câmara Braga já possuía uma loja de pet shop no centro de compras, mas resolveu alçar novos vôos e investir neste setor em crescimento.

    Repleta de suplementos de linhas nacionais e importadas e, em breve, fitoterápicos, a Big Way foi concretizada a partir de um investimento na faixa de R$ 200 mil. De acordo com Aurelindo, a expectativa é que o retorno aconteça em no máximo dois anos.

    Somente a indústria nacional de suplementos nutricionais deve terminar 2015 com um faturamento na ordem de R$ 1,4 bilhão e crescimento de 15% na produção, com base em expectativa da Associação Brasileira dos Fabricantes de Suplementos Nutricionais e Alimentos para Fins Especiais (Brasnutri). Em 2010, o faturamento desta indústria estava na ordem de R$ 637 milhões.