Fonte: OpenWeather

    Economia


    Após 23 dias parados, urbanitários aceitam proposta da Eletrobras e encerram greve

    O retorno ao trabalho aconteceu por meio de um acordo feito entre o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado do Amazonas (STIU/AM) e a concessionária de energia. - foto: Asafe Augusto
    O retorno ao trabalho aconteceu por meio de um acordo feito entre o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado do Amazonas (STIU/AM) e a concessionária de energia. - foto: Asafe Augusto

    Após 23 dias de paralisação pela falta do pagamento da participação nos lucros e resultados (PLR) de 2014, os trabalhadores da Eletrobras Amazonas Energia voltaram as suas atividades com 100% do efetivo.

    O retorno ao trabalho aconteceu por meio de um acordo feito entre o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado do Amazonas (STIU/AM) e a concessionária de energia.

    De acordo com os urbanitários, a Eletrobrás ofereceu uma proposta de realizar o pagamento da PLR parcelada em quatro vezes, mas a categoria não havia aceitado.

    Após resposta negativa dos trabalhadores, na última sexta feira (19) a Eletrobrás ofereceu uma contra proposta, que seria pagar o valor em duas vezes. Em votação, a proposta foi aceita pelo sindicato que voltou ao trabalho no mesmo dia.

    Atendimento

    O diretor presidente da Eletrobrás, Antônio Carlos Faria de Paiva, afirmou no período da greve que mesmo com a paralisação e um contingente de 30%, cumprindo o efetivo estabelecido em lei, a concessionária estava conseguindo atender a população.
    Em contrapartida, também no período da greve, alguns leitores do EM TEMPO Online se queixavam da lentidão da empresa para resolver problemas de falta de energia. Alguns afirmam que a demora chegava até cinco horas de espera.

    Por Asafe Augusto (especial EM TEMPO online)