Fonte: OpenWeather

    Economia


    Órgãos pedem suspensão de cobrança tarifária retroativa de energia no Amazonas

    Ação protocolizada aguarda decisão da Justiça estadual – foto: divulgação
    Ação protocolizada aguarda decisão da Justiça estadual – foto: divulgação

    A ação civil pública assinada e protocolizada na tarde desta quarta-feira (9), por sete órgãos de defesa do consumidor, pede a suspensão imediata da cobrança retroativa do sistema de bandeiras tarifárias de energia a todos os consumidores do Estado do Amazonas, mesmo que os municípios sejam atendidos pelo Sistema Interligado Nacional (SIN).

    Segundo o procurador do República do Ministério Público Federal (MPF-AM), Rafael da Silva Rocha, essas cobranças indevidas são cobradas desde maio de 2015. Ela já foi alvo de uma ação do órgão que pediu à concessionária Amazonas Distribuidora e a Agência Nacional de Energia (Aneel) que suspenda essas cobranças.

    A ação pede ainda a restituição em dobro do valor já pago pelos consumidores do Estado e ainda o pagamento de uma indenização em decorrência do dano social causado pela postura ilegal da empresa no Estado.

    O promotor de Justiça do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), Otávio Gomes, disse que o órgão tem a representação de algumas pessoas que reclamaram da cobrança abusiva. Segundo ele, a cobrança retroativa em caso de bandeiras tarifarias é considera ilegal até mesmo pela função da própria resolução número 414 da Aneel.

    Por Mairkon Castro

    Mais lidas

    1. Ferramenta mostra como economizar até 35% na conta de luz

    2. Pesca esportiva movimenta R$ 70 milhões no Amazonas

    3. Você conhece o coworking? Compartilhamento de espaços para empresas está em alta

    4. Feira 'Tudo Para Casa' exibirá rochas ornamentais

    5. Expectativa de crescimento favorece criação de empregos temporários no Natal