Fonte: OpenWeather

    Economia


    Construir está mais caro no AM

    Desde janeiro, os componentes materiais, equipamentos e serviços acumulam reajuste de 6,41% – foto: Diego Janatã
    Os dados do Sinapi indicam que a Região Norte fechou o último mês de dezembro e o acumulado dos 12 meses do ano com a maior variação do país. – foto: Diego Janatã

    Os amazonenses pagaram mais caro para construir ou reformar o imóvel em 2015. É o que aponta o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com a Caixa Econômica Federal divulgado ontem.

    No Amazonas, o preço médio da construção civil apresentou variação de até R$ 1.060,064 por metro quadrado construído.

    Norte

    Os dados do Sinapi indicam que a Região Norte fechou o último mês de dezembro e o acumulado dos 12 meses do ano com a maior variação do país.

    Segundo o estudo, no último mês de 2015, ao apresentar a maior aceleração do ano, os custos da construção civil na região subiram 0,43%, e no acumulado, 7,92%.

    O Sinapi apresentou variação de 0,06% em dezembro, apresentando desaceleração de 0,22 ponto percentual em relação à taxa de 0,28% de novembro. Com isto, o ano de 2015 fechou em 5,50%. O acumulado no ano de 2014 foi 6,20%.

    As demais variações foram: 4,51% (Nordeste), 4,95% (Sudeste); 7,81% (Sul) e 5,25% (Centro-Oeste). Quanto aos custos da construção, as regiões ficaram com os seguintes valores por metro quadrado: R$ 995,18 (Norte); R$ 889,98 (Nordeste); R$ 1001,61 (Sudeste); R$ 999,97 (Sul) e R$ 975,71 (Centro-Oeste).

    A reportagem do EM TEMPO entrou em contato com a direção do Sindicato das Indústrias da Construção Civil do Estado do Amazonas (Sinduscon-AM), mas a entidade não quis se pronunciar sobre o assunto.

    Por Mairkon Castro

    Mais lidas

    1. Pesca esportiva movimenta R$ 70 milhões no Amazonas

    2. Você conhece o coworking? Compartilhamento de espaços para empresas está em alta

    3. Expectativa de crescimento favorece criação de empregos temporários no Natal

    4. Demanda por voos para os Estados Unidos cresce no Brasil

    5. Gás de botijão leva prévia da inflação oficial a 0,34% em outubro, diz IBGE