Fonte: OpenWeather

    Economia


    Taxa média de juros do cheque especial e empréstimo pessoal caiu em janeiro

    Caso o consumidor precise de crédito, o Procon aconselha a procurar as melhores taxas e negociar com a instituição financeira, especialmente quando for correntista do banco - foto: reprodução
    Caso o consumidor precise de crédito, o Procon aconselha a procurar as melhores taxas e negociar com a instituição financeira, especialmente quando for correntista do banco - foto: reprodução

    O Procon-SP (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo) identificou queda na taxa média de juros do cheque especial e do empréstimo pessoal em levantamento feito no dia 5 de janeiro. Nos sete bancos pesquisados, a taxa média para o cheque especial foi 12,52% ao mês (a.m.), 0,03 ponto percentual menor que no mês anterior, de 12,55% ao mês. As informações são da Agência Brasil.

    Já no empréstimo pessoal, a taxa média de juros dos bancos pesquisados foi 6,37% a.m., inferior ao mês anterior, que foi 6,39% a.m., queda de 0,02 ponto percentual. A pesquisa inclui Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, HSBC, Itaú, Safra e Santander.

    Apesar da queda no valor médio das taxas de juros, o Procon alerta que o consumidor deve ficar atento e evitar gastos por impulso. "Os empréstimos devem ser evitados, pois o cenário geral econômico prevê períodos de inflação e consequente queda do poder aquisitivo", informou a entidade.

    Caso o consumidor precise de crédito, o Procon aconselha a procurar as melhores taxas e negociar com a instituição financeira, especialmente quando for correntista do banco.

    Números

    Das sete instituições financeiras que fazem parte da amostra, duas elevaram a taxa de juros do cheque especial e duas diminuíram. Em relação à taxa de empréstimo pessoal, uma elevou sua taxa e uma diminuiu. As demais taxas foram mantidas.

    Nos juros do cheque especial, de acordo com a pesquisa, foram registradas altas no Bradesco, que alterou de 11,92% para 12,30% a.m.; e no Safra, que mudou de 10,40% para 11,40% a.m. Já as quedas foram identificadas no Banco do Brasil, que alterou a taxa de 11,99% para 11,80% a.m.; e no Itaú, que baixou de 11,93% para 10,56% a.m. Os demais bancos mantiveram suas taxas.

    No empréstimo pessoal, o Procon identificou aumento na taxa de juros no Bradesco, que alterou o índice de 6,61% para 6,67% ao mês. O único banco que baixou essa taxa foi o Itaú, de 6,43% para 6,22% a.m. Os demais bancos mantiveram sua taxa de empréstimo pessoal.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. Gás de botijão leva prévia da inflação oficial a 0,34% em outubro, diz IBGE

    2. Ministério da Fazenda autoriza aumento das tarifas de serviços dos Correios

    3. Comércio chega ao sétimo mês de crescimento e espera alta de até 5% no fim do ano

    4. Amazonas é o 5º na geração de empregos na região Norte e o 17º no Brasil

    5. Aprovados em concurso do Tjam em 2013 cobram nomeação