Fonte: OpenWeather

    Economia


    Brasil é agora o décimo maior cotista do FMI

    O Brasil passou a ser o décimo maior cotista do Fundo Monetário Internacional (FMI), informou nesta segunda-feira (22) o Banco Central (BC). O país subiu quatro posições após a integralização do aumento de sua cota, na semana passada.

    Segundo o BC, o aumento se deu no âmbito da 14ª Revisão Geral de Cotas do FMI. Ao final do processo de integralização de cotas por parte dos países-membros, a ser concluído nas próximas semanas, a participação no total das cotas do Brasil no organismo subirá de 1,78% para 2,32%.

    De acordo com o BC , a 14ª Revisão Geral de Cotas foi resultado de uma longa negociação no período pós-crise de 2008 e culminou em um acordo em 2010, visando dobrar os recursos regulares do FMI e aumentar a participação relativa das economias emergentes e em desenvolvimento.

    Entre os países que mais aumentarão a participação estão os BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China), que passarão a figurar entre os dez maiores cotistas do fundo e, conjuntamente, somarão 14,2% em cotas (ou 13,5% com poder de voto) do FMI.

    O resultado líquido do aumento de cotas não afeta o nível das reservas internacionais do Brasil, informou o BC.

    Por Agência Brasil

    Mais lidas

    1. Expectativa de crescimento favorece criação de empregos temporários no Natal

    2. Demanda por voos para os Estados Unidos cresce no Brasil

    3. Gás de botijão leva prévia da inflação oficial a 0,34% em outubro, diz IBGE

    4. Ministério da Fazenda autoriza aumento das tarifas de serviços dos Correios

    5. Comércio chega ao sétimo mês de crescimento e espera alta de até 5% no fim do ano