Fonte: OpenWeather

    Economia


    Varejo surpreende e avança 1,2% em fevereiro após dois meses de queda

    A vendas do comércio varejista surpreenderam em fevereiro ao avançar 1,2% na comparação com o mês anterior, pela taxa com ajuste sazonal, interrompendo uma sequência de dois meses consecutivos de queda no indicador.

    Trata-se do melhor resultado do comércio varejista desde julho de 2013, quando avançou 3%. O resultado foi insuficiente, no entanto, para recuperar as perdas acumuladas nos dois meses anteriores, que foi de 4,1%.

    Apesar da alta no mês, os dados não indicam uma mudança de tendência. Em relação a fevereiro de 2015, as vendas recuaram 4,2%, completando 11 meses de queda contínua.

    O setor sofre uma crise aguda desde o ano passado, com consumidores afetados por uma combinação de inflação, desemprego e crédito mais restrito. Esse cenário adia-se compras sobretudo de produtos mais caro.

    Com o resultado, as vendas do varejo acumulam queda de 7,6% no ano e de 5,3% nos últimos 12 meses, segundo dados da PMC (Pesquisa Mensal do Comércio) nesta terça-feira (12) divulgados pelo IBGE.

    SEGMENTOS

    O aumento das vendas do comércio em fevereiro, na comparação ao mês anterior, ocorreu em metade das atividades acompanhadas pelo IBGE.

    Esse avanço foi influenciado pelas vendas de móveis e eletrodomésticos, que tiveram alta de 5% em fevereiro, na comparação ao mês anterior. O ramo acumula agora queda de 13,4% no ano e também de 13,4% nos últimos 12 meses.

    Outro setor com avanço de janeiro para fevereiro foi o de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,8%). Esse setor havia registrado queda de 3,2% no mês anterior, segundo a pesquisa.

    Entre os ramos que registraram queda os destaques ficaram para tecidos, vestuário e calçados (-2,8%) e livros, jornais, revistas e papelaria (-2,4%). O ramos chamado "outros artigos de uso pessoal e doméstico recuaram 0,1% no mês.

    VAREJO AMPLIADO

    O chamado "varejo ampliado" que, além dos oito segmento também inclui os ramos de veículos e material de construção, teve alta de 1,8% na passagem de janeiro para fevereiro, segundo os dados da pesquisa do IBGE.

    Veículos, motos e peças tiveram aumento de 3,8% nas vendas no mês frente a janeiro. Já o ramo de materiais de construção aumentou 3,3% na comparação ao mês anterior.

    Por Folhapress