Fonte: OpenWeather

    Economia


    Ônibus podem voltar a transportar na BR-319

    Flávio explicou que, antes de retomar os trabalhos, a empresa realizará uma viagem de reconhecimento da estrada, no próximo dia 16 - foto: Diego Janatã
    Flávio explicou que, antes de retomar os trabalhos, a empresa realizará uma viagem de reconhecimento da estrada, no próximo dia 16 - foto: Diego Janatã

    Mesmo diante da polêmica em torno da liberação das obras na BR-319, empresas de ônibus que fazem o transporte regular de passageiros intermunicipal e interestadual de Manaus, trabalham para voltar a operar na rodovia federal, para o sul do Amazonas e a capital de Rondônia. As empresas Aruanã e Eucatur paralisaram o serviço desde fevereiro, por conta das condições precárias, principalmente no trecho entre os quilômetros 250 e 655, mais conhecido como “meião”.

    As obras de recuperação do “meião” seguem indefinidas entre o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Ainda assim, a expectativa dos empresários é que os serviços sejam retomados no final deste mês, conforme a previsão dada pela Agência Reguladora de Serviços Públicos do Estado do Amazonas (Arsam).

    O diretor operacional da Aruanã Transportes e vice-presidente do Sindicato das Empresas de Transportes do Amazonas (Sinfretam), Flávio Cândido, disse que as condições da estrada mantêm o tráfico de veículos impossibilitado. Ele informou que a Arsam solicitou que as empresas de transporte paralisassem o serviço devido à precariedade da estrada. “Estamos sem trabalhar desde o dia 28 de fevereiro. Por uma questão de senso, entendemos que continuar fazendo o transporte seria colocar em risco a vida dos passageiros”, observou.

    De acordo com Flávio, que trabalha no ramo de transportes há mais de 40 anos, o “meião” da BR-319 apresenta problemas como grandes atoleiros (lamaçal), buracos, desníveis, desvios, pontes inacabadas e quebradas e falta de iluminação pública. Porém, a expectativa é que no fim deste mês a empresa possa retomar os trabalhos, normalmente, visto que estão sendo feitos trabalhos de manutenção no local, e não tem chovido muito nos últimos tempos, o que mais prejudica o tráfico de veículos, conforme analisou o diretor da Aruanã.

    Flávio explicou que, antes de retomar os trabalhos, a empresa realizará uma viagem de reconhecimento da estrada, no próximo dia 16. “A intenção é verificar como a estrada se encontra. Uma equipe de engenheiros terceirizados, instrutores de motoristas e advogados que atuam na parte jurídica da nossa empresa farão uma visita à BR-319 para analisar se há possibilidade de trafegar com segurança. Temos total consciência de que é preciso esse vistoriamento antes”, sustentou.

    O agente de transportes da empresa Eucatur, Joffrey Melo, informou que a companhia também precisou paralisar os serviços. Segundo o funcionário, o último embarque foi feito no dia 15 de março com destino para a cidade de Porto Velho (RO). Ele relatou que na penúltima viagem, para Manicoré, um dos transportes ficou atolado na estrada por mais de 36 horas.

    “Devido a essas dificuldades e priorizando a segurança dos nossos passageiros, nós decidimos parar as rotas. É possível que no final deste mês nós retomemos os serviços, mas vai depender muito das condições da estrada”, observou o gerente de transportes da Eucatur.

    Por Bruna Amaral

    Mais lidas

    1. Expectativa de crescimento favorece criação de empregos temporários no Natal

    2. Demanda por voos para os Estados Unidos cresce no Brasil

    3. Gás de botijão leva prévia da inflação oficial a 0,34% em outubro, diz IBGE

    4. Ministério da Fazenda autoriza aumento das tarifas de serviços dos Correios

    5. Comércio chega ao sétimo mês de crescimento e espera alta de até 5% no fim do ano