Fonte: OpenWeather

    Economia


    Produtores do Amazonas estão no rumo das exportações

    Aquecer o mercado do setor primário é necessário para o Estado, segundo Nelson Azevedo, para que o amazonense não fique refém do PIM - foto: divulgação
    Aquecer o mercado do setor primário é necessário para o Estado, segundo Nelson Azevedo, para que o amazonense não fique refém do PIM - foto: divulgação

    Com a intenção de movimentar o mercado de produtos regionais no Amazonas, a Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam) se reuniu com produtores locais. O encontro se concentrou com empreendedores da área de piscicultura e do setor de agronegócios, para viabilizar plano para exportação de produtos da região Norte, com a participação da Trading Mitsui & C.O (Brasil) S.A, empresa importadora e exportadora de produtos.

    O objetivo do encontro foi retratar a necessidade do desenvolvimento de outras matrizes econômicas para que o Estado não conte apenas com a produção do Polo Industrial de Manaus (PIM), que vive hoje uma sequência de quedas no volume de produção, de faturamento e recorde no número de vagas de trabalho desocupadas.

    De acordo com o vice-presidente da Fieam, Nelson Azevedo, é de grande importância para o Estado aquecer esse mercado, que há anos teve seu momento de glória com o ciclo da borracha e que, com o advento da Zona Franca de Manaus (ZFM), sofreu queda brusca em suas produções, e assim deixando de lucrar com as diversas matérias primas existentes.

    Azevedo explicou que, para discutir assuntos relacionados à agroindústria, conta com o apoio da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (Faea) e demais entidades interligadas ao setor. Segundo ele, juntas unirão forças para ajudar produtores já inseridos no mercado de trabalho e outros que buscam essa inserção nesse cenário.

    “Estamos passando por mudanças em nossa economia. Sendo assim, precisamos aguardar as medidas a serem realizadas pelo governo do Estado para melhoria da nossa região”, disse o vice-presidente do Fieam e presidente do Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM).

    Uma das dificuldades enfrentadas pelo setor, de acordo com a avaliação de Azevedo, é a falta de apoio do governo. “Não em termos de financiamento ou algo parecido, mas de facilidade na abertura de caminhos para permanência no mercado local e exportação de seus produtos”, observou.

    A intenção dos encontros com produtores regionais é perceber suas necessidades em relação aos negócios e encontrar soluções juntamente com órgãos públicos, pois esses também dificultam a permanência e aberturas de novos empreendimentos locais. A empresa Mitsui atua há mais de 100 anos no Japão e há cinco anos em Manaus.

    Mais lidas

    1. Pesca esportiva movimenta R$ 70 milhões no Amazonas

    2. Você conhece o coworking? Compartilhamento de espaços para empresas está em alta

    3. Feira 'Tudo Para Casa' exibirá rochas ornamentais

    4. Expectativa de crescimento favorece criação de empregos temporários no Natal

    5. Demanda por voos para os Estados Unidos cresce no Brasil