Fonte: OpenWeather

    Economia


    Câmara aprova MP que reduz a 6% IR para remessas ao exterior

    O plenário da Câmara aprovou nesta quarta-feira (15) a medida provisória 713, que reduz o Imposto de Renda incidente sobre remessas de dinheiro ao exterior para gastos com viagem, como hotéis, pacotes turísticos e transporte.A taxa passa de 25% para 6%, até o limite de R$ 20 mil ao mês. Para operadoras ou agências de viagens, esse teto é de R$ 10 mil.

    Essas operações eram isentas até dezembro de 2015. A partir de então, as remessas passaram a ter uma tributação de 25%.

    A medida provisória reduz o imposto até 31 de dezembro de 2019. Ela segue agora para votação no Senado.

    De acordo com o Ministério da Fazenda, a redução vai provocar uma renúncia fiscal de R$ 2 bilhões até 2108 -R$ 480 milhões em 2016, R$ 747 milhões em 2017 e R$ 772 milhões em 2018.

    A Fazenda diz que vai compensar a perda de receita com alteração em outros tributos, como os incidentes sobre cigarros, sorvetes, chocolates e ração de cães e gatos.

    A MP também reduz para zero a alíquota do imposto incidente sobre rendimentos a partir da promoção de produtos, serviços e destinos turísticos brasileiros. Por exemplo, por meio de pesquisas de mercado ou da participação em feiras e de publicidades que visem captar turismo de lazer e negócios.

    Uma emenda incluída pelo senador Romero Jucá (PMDB-RR) na comissão especial que analisou o texto concedia, até 30 de abril de 2020, redução das alíquotas de PIS/PASEP e COFINS incidentes sobre importação e venda, no mercado interno, de papel de imprensa.

    Por oposição principalmente do PT, porém, a emenda foi retirada do texto pelos deputados.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. Demanda por voos para os Estados Unidos cresce no Brasil

    2. Gás de botijão leva prévia da inflação oficial a 0,34% em outubro, diz IBGE

    3. Ministério da Fazenda autoriza aumento das tarifas de serviços dos Correios

    4. Comércio chega ao sétimo mês de crescimento e espera alta de até 5% no fim do ano

    5. Amazonas é o 5º na geração de empregos na região Norte e o 17º no Brasil