Fonte: OpenWeather

    Economia


    Fazenda: Brasil está preparado para lidar com turbulências externas

    Em nota sobre a saída da Grã Bretanha da União Europeia, a pasta destacou que o país está preparado para instabilidades na economia global - foto: divulgação
    Em nota sobre a saída da Grã Bretanha da União Europeia, a pasta destacou que o país está preparado para instabilidades na economia global - foto: divulgação

    O Brasil tem fundamentos econômicos sólidos e dispõe de instrumentos para lidar com turbulências na economia internacional, informou há pouco o Ministério da Fazenda. Em nota sobre a saída da Grã Bretanha da União Europeia, a pasta destacou que o país está preparado para instabilidades na economia global.

    Segundo o ministério, o Brasil tem expressivo volume de reservas internacionais e o ingresso de investimento direto estrangeiro tem sido suficiente para financiar o déficit nas contas externas. Esses dois fatores ajudam a conter pressões para a elevação da cotação do dólar.

    O comunicado destacou que as condições de financiamento da dívida pública brasileira permanecem sólidas apesar da volatilidade nos mercados financeiros. Isso porque o Tesouro Nacional tem amplo colchão de liquidez (reserva de recursos para pagar os vencimentos da dívida pública) e porque, diferentemente de muitos países, a dívida pública brasileira é composta majoritariamente de títulos públicos em reais, não em dólares ou em euros.

    A Fazenda informou que recentemente o governo anunciou medidas para conter o crescimento dos gastos públicos no longo prazo. “A recente melhora nos indicadores de confiança e na percepção de risco do país reflete essas ações”, destacou a nota.

    O comunicado tem tom semelhante ao da nota emitida pelo Banco Central (BC) mais cedo. No texto, a autoridade monetária destacou que está monitorando continuamente as condições econômicas no Brasil e no exterior e que adotará as medidas adequadas para manter o funcionamento normal do câmbio e do mercado de ações.

    O BC também destacou que o Brasil tem instrumentos para enfrentar momentos de turbulência internacional. “A economia brasileira tem fundamentos robustos para enfrentar movimentos decorrentes desse processo, especialmente, relevante montante de reservas internacionais, o regime de câmbio flutuante e um sistema financeiro sólido, com baixa exposição internacional”, ressaltou a nota.

    Mercado financeiro

    No mercado brasileiro, o dólar comercial estava cotado a R$ 3,381, por volta das 14h40, com alta de 1,09%. A valorização da moeda norte-americana desacelerou nas últimas horas. Mais cedo, às 9h20, a divisa abriu a R$ 3,436. O euro opera com queda de 0,83%, vendido a R$ 3,783. A libra esterlina é vendida a R$ 4,654, com recuo de 7,06%.

    Na bolsa de valores, o índice Ibovespa tem queda de 2,74%, aos 50.146 pontos. Todas as ações do índice operam em baixa. Ontem (23), o indicador tinha subido 2,8%, a maior alta diária desde o início de maio, e tinha encerrado em 51.560 pontos.

    Por Agência Brasil

    Mais lidas

    1. Pesca esportiva movimenta R$ 70 milhões em Barcelos

    2. Expectativa de crescimento favorece criação de empregos temporários no Natal

    3. Demanda por voos para os Estados Unidos cresce no Brasil

    4. Gás de botijão leva prévia da inflação oficial a 0,34% em outubro, diz IBGE

    5. Ministério da Fazenda autoriza aumento das tarifas de serviços dos Correios