Fonte: OpenWeather

    Economia


    Nova diretoria do Banco Central faz primeira reunião sobre taxa de juros

    O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, abriu na tarde desta terça-feira (19) a primeira reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) desde que assumiu o cargo.

    A reunião que começa nesta terça e termina na quarta-feira (20) também será a primeira com os novos diretores Tiago Berriel (Assuntos Internacionais), Carlos Viana de Carvalho (Política Econômica), Reinaldo Le Grazie (Política Monetária) e Isaac Sidney Menezes Ferreira (Relacionamento Institucional e Cidadania).

    Na semana passada, o BC anunciou mudanças nos horários da reunião do Copom e na data de divulgação da ata sobre o encontro.

    O segundo dia da reunião terá início às 14h30. Com isso, acabará mais cedo. A expectativa é que o resultado, se haverá ou não corte da Selic (taxa básica de juros), seja conhecido logo após as 18h. Normalmente, a divulgação ocorre próxima das 20h.

    A outra mudança é a antecipação da divulgação da ata do Copom em dois dias. O documento sairá sempre na terça-feira da semana seguinte ao encontro. Antes, era divulgado na quinta-feira seguinte. O horário foi mantido, às 8h30.

    A maioria dos economistas espera manutenção dos juros nesta quarta, mas alguns analistas veem um possível corte na taxa, que está em 14,25% ao ano desde julho do ano passado.

    A Copom é formado ainda pelos diretores Luiz Edson Feltrim (Administração), Anthero Meirelles (Fiscalização), Sidnei Corrêa Marques (Organização do Sistema Financeiro e Crédito Rural) e Otavio Ribeiro Damaso (Regulação), que já eram membros do comitê na gestão Alexandre Tombini.

    Por Folhapress

    Mais lidas

    1. Demanda por voos para os Estados Unidos cresce no Brasil

    2. Gás de botijão leva prévia da inflação oficial a 0,34% em outubro, diz IBGE

    3. Ministério da Fazenda autoriza aumento das tarifas de serviços dos Correios

    4. Comércio chega ao sétimo mês de crescimento e espera alta de até 5% no fim do ano

    5. Amazonas é o 5º na geração de empregos na região Norte e o 17º no Brasil