Fonte: OpenWeather

    Economia


    No AM, desemprego fecha semestre com menos 15 mil vagas

    Presidente do Cieam, Wilson Périco, diz que para a exportação fazer a diferença na arrecadação do setor, se faz necessário vontade das empresas e intervenções do governo federal - foto- foto: arquivo EM TEMPO
    A indústria de transformação foi o maior responsável pelo volume de cortes de vagas no período, com quase 6 mil demissões - foto: arquivo EM TEMPO

    O nível de emprego do primeiro semestre no Amazonas sofreu com a perda de mais de 15,3 mil postos de emprego formal, o equivalente a menos 3,54% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS), divulgados nesta quarta-feira (27).

    A indústria de transformação foi o maior responsável pelo volume de cortes de vagas no período, com quase 6 mil demissões. O setor foi seguido de perto pelo comércio com 4.782 cortes, de janeiro a junho, e dos serviços que eliminaram 4.268 vagas de emprego formal. No rumo contrário, a construção civil fechou o semestre com saldo positivo de 210 admissões.

    Na variação mensal do emprego, foram eliminados 1.231 empregos celetistas em junho, uma retração de 0,29% se comparado à quantidade de trabalhadores com carteira assinada no mês de maio.

    O número mantém a tendência de mais demissões do que contratações, no entanto, o volume é menor do que o mês de junho de 2015, quando foram cortadas 3.859 pessoas.

    No período, foram admitidas 9.785 pessoas contra 11.016 desligadas. Os serviços puxaram o volume de demissões com saldo negativo de 1.321, depois de admitir 3.424 e desligar 4.745 trabalhadores. Enquanto o comércio fechou com saldo de 627 desligamentos após contratar 2.657 e desligar 3.284 pessoas, a indústria de transformação fechou com saldo positivo de 320 contratações, depois de admitir 2.095 trabalhadores e desligar 1.775.

    Nos últimos 12 meses, conforme dados do Caged, o saldo de vagas extintas no Amazonas foi de 36,5 mil, o equivalente negativo de 8,06%.

    Enquanto que no período foram contratados 144.498 trabalhadores no Estado, em oito setores econômicos, o total de 181.073 foram demitidos. Nesse período, o maior saldo de cortes ocorreu na indústria de transformação, com menos 22.332 vagas, no comparativo de 28.757 admissões contra 51.089 demissões.

    Nacional

    De acordo com o Caged, no país foram fechados, em junho, 91.032 vagas de empregos formais. O resultado mantém a tendência de mais demissões que contratações no mercado de trabalho.

    No entanto, o resultado melhorou em relação a junho de 2015, quando foram fechados 111.199 postos formais.

    No acumulado deste ano, o Caged contabiliza 531.765 vagas fechadas e, nos últimos 12 meses, o saldo chega a 1,765 milhão de postos com carteira assinada a menos.

    O setor de serviços registrou a maior queda de vagas formais em junho deste ano, com fechamento de 42.678 postos de trabalho.

    Por Emerson Quaresma

    Mais lidas

    1. Expectativa de crescimento favorece criação de empregos temporários no Natal

    2. Demanda por voos para os Estados Unidos cresce no Brasil

    3. Gás de botijão leva prévia da inflação oficial a 0,34% em outubro, diz IBGE

    4. Ministério da Fazenda autoriza aumento das tarifas de serviços dos Correios

    5. Comércio chega ao sétimo mês de crescimento e espera alta de até 5% no fim do ano