Fonte: OpenWeather

    Economia


    Balança comercial tem superávit recorde de US$ 36,2 bi no acumulado do ano

    No ano, a balança está deficitária em US$ 6,065 bilhões, menor que o déficit de US$ 6,088 bilhões no mesmo período de 2014 - foto: arquivo EM TEMPO
    A expectativa do governo é que a balança encerre 2016 com superávit entre US$ 45 bilhões e US$ 50 bilhões - foto: arquivo EM TEMPO

    A balança comercial brasileira teve superávit (exportações maiores que importações) de US$ 3,8 bilhões em setembro. É o melhor resultado para esse mês desde 2006. No ano, a balança acumula saldo positivo de US$ 36,2 bilhões, maior resultado para o período desde o início da série histórica, em 1989.

    A expectativa do governo é que a balança encerre 2016 com superávit entre US$ 45 bilhões e US$ 50 bilhões. Caso se confirme, pode haver recorde em relação ao melhor saldo anual já registrado, em 2006, quando a balança fechou positiva em US$ 46,4 bilhões.

    Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (3) pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. O resultado positivo de setembro derivou de US$ 15,79 bilhões em exportações e US$ 11,987 bilhões em importações.

    As vendas externas caíram 2,2% sobre setembro de 2015, mas subiram 1,8% em relação a agosto deste ano, segundo o critério da média diária, que mede o valor negociado por dia útil.

    Do lado das compras do Brasil no exterior, houve queda de 9,2% no volume diário negociado na comparação com setembro de 2015. As importações cresceram 2,2% em relação a agosto de 2016.

    No ano, o Brasil exportou US$ 139,4 bilhões, ou 4,6% menos que em igual período de 2015. De janeiro a setembro, o país importou US$ 103,2 bilhões, o que representa 23,9% menos do que nos nove primeiros meses do ano passado.

    Com informações da Agência Brasil

    Mais lidas

    1. Pesca esportiva movimenta R$ 70 milhões no Amazonas

    2. Você conhece o coworking? Compartilhamento de espaços para empresas está em alta

    3. Feira 'Tudo Para Casa' exibirá rochas ornamentais

    4. Expectativa de crescimento favorece criação de empregos temporários no Natal

    5. Demanda por voos para os Estados Unidos cresce no Brasil