Fonte: OpenWeather

    Economia


    Redução de juros e queda da inflação permitem retomada do crescimento

    Temer disse ter “convicção” de que “estão dados os elementos para a retomada do crescimento econômico” - Agência Brasil

    O presidente Michel Temer elogiou a decisão do Banco Central de baixar os juros básicos da economia a 13% ao ano e afirmou que, diante dos dados de queda da inflação divulgados recentemente, a expectativa é que a taxa continue caindo de forma gradual.

    Segundo o porta-voz da Presidência, Alexandre Parola, Temer disse ter “convicção” de que “estão dados os elementos para a retomada do crescimento econômico”.

    “A divulgação, hoje mais cedo, da taxa de inflação de 2016, em 6,29% anuais, é um dado extremamente positivo que terá sido levado em conta para a redução da Selic”, comentou o presidente, por meio do porta-voz.

    Na declaração à imprensa, Parola disse que as informações disponíveis atualmente no governo indicam que a inflação continuará em queda, repedindo afirmação feita por Temer mais cedo de que o índice ficará no centro da meta (4,5%) este ano. Por meio do porta-voz, o presidente também elogiou a decisão do Banco do Brasil de reduzir os juros, anunciada pouco depois da divulgação da Selic.

    “Todos os dados disponíveis indicam que nos próximos meses a inflação seguirá em queda. Com isso, o rendimento do trabalhador se vê protegido do efeito terrível da inflação e abre-se espaço para que a taxa de juros seja gradualmente reduzida, de modo responsável, consistente e sustentável. Um dos primeiros exemplos dessa tendência é o anúncio feito pelo Banco do Brasil na tarde de hoje de que está reduzindo suas taxas de juros”, afirmou Parola.

    Paulo Victor Chagas
    Agência Brasil

    Mais lidas

    1. Pesca esportiva movimenta R$ 70 milhões no Amazonas

    2. Você conhece o coworking? Compartilhamento de espaços para empresas está em alta

    3. Feira 'Tudo Para Casa' exibirá rochas ornamentais

    4. Expectativa de crescimento favorece criação de empregos temporários no Natal

    5. Demanda por voos para os Estados Unidos cresce no Brasil