Fonte: OpenWeather

    Economia


    Por videoconferência, ministro tentará reverter embargo da China à carne

    A China, União Européia e Hong Kong, Egito, Rússia e Irã são os maiores compradores de carne brasileira - Divulgação

    O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, tentará pôr fim ao embargo da carne brasileira pela China. Uma videoconferência com autoridades chinesas está marcada para as 21h (horário de Brasília) desta segunda-feira (20).

    Segundo o Ministério da Agricultura, a China decidiu reter temporariamente as mercadorias brasileiras nos portos do país até que o governo brasileiro apresente explicações mais detalhadas.

    Até o momento, não houve deliberação sobre o embargo temporário do Chile. A Coreia do Sul anunciou que decidiu intensificar as fiscalizações de carne de frango importada do Brasil e também baniu temporariamente as vendas de produtos de frango da BRF, maior produtora de carne de frango do mundo. A BRF diz que não foi notificada da decisão.

    A Comissão Europeia, braço Executivo da União Europeia, pediu nesta segunda-feira que as autoridades brasileiras suspendam as empresas exportadores investigadas pela Polícia Federal.

    A União Europeia também pediu que todos os seus Estados-membros incrementem o monitoramento da carne brasileira que chegue ao bloco econômico -um representante da Comissão Europeia afirmou que isso é de praxe nessas situações.

    A UE é um dos principais compradores da carne brasileira -entre os importadores de carne bovina, o bloco lidera ao lado de Hong Kong, China, Egito, Rússia e Irã.

    Mais lidas

    1. Pesca esportiva movimenta R$ 70 milhões no Amazonas

    2. Você conhece o coworking? Compartilhamento de espaços para empresas está em alta

    3. Feira 'Tudo Para Casa' exibirá rochas ornamentais

    4. Expectativa de crescimento favorece criação de empregos temporários no Natal

    5. Demanda por voos para os Estados Unidos cresce no Brasil