Fonte: OpenWeather

    Economia


    Basa é pressionado a explicar transferência de central de crédito para Rondônia

    Aleam realizou audiência para debater assunto com o Basa - Foto: Divulgação

    A classe política do Amazonas e setores ligados ao agronegócio, além de entidades representantes dos bancários, pressionam o Banco da Amazônia (Basa), sobre a decisão da diretoria executiva da instituição financeira em unificar as centrais de crédito do Amazonas e Rondônia, transferindo para Porto Velho, as decisões do setor.

    A medida é contestada pela Assembleia Legislativa do Estado Amazonas (Aleam), porque, na prática, retira do Estado a autonomia para gerenciar a liberação de crédito do agronegócio, agricultura familiar, pesca, entre outros.

    Para o presidente da Federação da Agricultura do Estado do Amazonas (Faea), Muni Lourenço, a decisão do banco, em centralizar as decisões em Rondônia, não pode trazer prejuízos aos amazonenses."A expectativa do setor agropecuário é que a instalação dessa central em Rondônia não venha representar mais demora e burocratização na análise de projetos e concessão de financiamentos para o Amazonas.Uma das explicações dadas pelo banco diz respeito a força do agronegócio no estado de Rondônia, vamos continuar na expectativa que isso não nos prejudique".

    Leia mais: Basa quer aumentar em até 15% o orçamento destinado a investimentos a região

    O deputado Platiny Soares (DEM), que propôs o requerimento indicativo para explicações por parte do Basa, a audiência com o banco teve a finalidade de mediar conflitos entre a instituição financeira, Sindicato dos Bancários e clientes. “Nós temos o interesse de que essa Central de Crédito seja instalada no Amazonas.Minha preocupação é que temos o Polo Industrial em Manaus e uma economia do setor primário crescendo e necessitando de maior acesso ao crédito do Banco da Amazônia. O caboclo do Amazonas precisa da central aqui", disse.

    Basa

    Em audiência na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), na última quarta-feira (11),o superintendente do Banco da Amazônia, Nélio de Jesus Gusmão, afirmou que, ao invés de criar demora, o processo ganhará mais agilidade. “As linhas de crédito do FNO estão disponíveis para todo o norte do Brasil. Estamos apenas unificando a parte de crédito dos estados do Amazonas e Rondônia. É essa a única mudança”, explicou.

    Bancários

    Na ocasião, o presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários do Amazonas(Seeb-AM) Nindberg Barbosa dos Santos, apresentou levantamento do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), que mostram o Amazonas, superando até mesmo o Estado do Acre (que já possui Central de Crédito), na aplicação de recursos.

    Para o Sindicato dos Bancários, a criação de uma Central de Créditos em outro estado só trará malefícios para os empresários e pequenos produtores. Segundo Nindberg Barbosa, é a Central que avalia a concessão de empréstimos para os amazonenses e, se ela for instalada em outro estado, a tendência é que as concessões demorem mais ainda para serem distribuídas.

    Para a presidente da Central do Sindicato Brasileiro dos Bancários no Amazonas (CSB-AM), Maria Luziete, a resposta, ao invés de convencer, causou revolta. “Se for preciso fecharemos as ruas, órgãos e até mesmo a sede do Basa aqui em Manaus, para recebermos a central de volta. O que estão fazendo com os pequenos e médios empreendedores no Amazonas é uma verdadeira afronta".

    Emprego e Renda

    O Banco da Amazônia tem cerca de três mil empregados, respondendo a 64% das aplicações de crédito de fomento no Norte, por meio do FNO. Conforme o Seeb-AM, em 2016 o Amazonas liberou créditos na ordem de R$ 2 bilhões, beneficiando 3.952 não rurais e 30.769 rurais trabalhadores do setor primário.

    EM TEMPO

    Leia mais:

    Tarde de feriado tem incêndio no ‘Viver Melhor’ e falta de energia em bairros de Manaus

    Aeroporto de Manaus terá Duty Free com produtos da Zona Franca sem impostos

    Shopping em Manaus promove ‘Ação Olho Vivo’ para esclarecer dúvidas sobre à saúde ocular

    Mais lidas

    1. Expectativa de crescimento favorece criação de empregos temporários no Natal

    2. Demanda por voos para os Estados Unidos cresce no Brasil

    3. Gás de botijão leva prévia da inflação oficial a 0,34% em outubro, diz IBGE

    4. Ministério da Fazenda autoriza aumento das tarifas de serviços dos Correios

    5. Comércio chega ao sétimo mês de crescimento e espera alta de até 5% no fim do ano