Fonte: OpenWeather

    Direito do consumidor


    O que o Procon Amazonas orienta para Black Friday? Confira

    Alguns cuidados devem ser tomados tanto nas lojas, quanto nos site, para você fazer uma compra segura e escapar de golpes.

    | Foto: Márcio Melo

    A Black Friday 2017 acontece no próximo dia 24 de novembro e grande parte da população amazonense aproveita para comprar com menor preço. Mas alguns cuidados devem ser tomados para evitar que no calor dos descontos e mais preocupados em economizar, o consumidor acabe sendo enganado e termine no prejuízo.  

    Apesar se tratar de uma data especial para o comércio e que entrou há pouco tempo no calendário brasileiro, qualquer compra feita durante a Black Friday, seguem as normas do Código de Defesa do Consumidor e devem ser cumpridas. Caso contrário, o consumidor pode reclamar para os órgãos competentes.

    O coordenador do Procon-AM (Programa Municipal de Orientação do Consumidor) Afonso Lins, alertou que para que consumidor fique atento em diversas empresas que maquiam os preços para que o produto pareça ser mais barato. Há três semanas atrás o Procon-AM coletou alguns preços em Manaus para evitar que as empresas maquiem os preços.

    “Os comércios sobem o valor na véspera e baixa para o valor que estava antes, como se fosse oferta. Essa prática é considerada publicidade enganosa e o estabelecimento pode ser penalizado”, detalhou Afonso Lins.

    Leia também: Reforma trabalhista, como será o amanhã

    Lins também ressaltou que o consumidor tem que estar vigilante em outro problema, que é se deixar levar pelos preços tentadores e acabar extrapolando o orçamento. A dica do Procon é que o consumidor faça uma lista do que precisa ou gostaria de comprar, estabelecendo um limite de gastos e não ultrapassar esse limite, para saber a renda que está sendo comprometida.

    Ralph Assayg, presidente da CDL-Manaus (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Manaus) disse que a instituição não fará ação, apenas está comunicando as lojas que irão participar para terem alguns cuidados no tratamento correto da mercadoria.

    Por exemplo, evidenciar com clareza o preço antigo dos produtos, qual a quantidade disponível para a promoção e quais os itens participantes, para evitar problemas com o Procon e com o cliente.  “Com essas medidas, queremos garantir que nos anos futuros, possamos fazer uma campanha junto com os empresários e ampliar ainda mais esses resultados”, disse Assayag.  

    Compras pela internet

    As compras pela internet na Black Friday deste ano, devem superar as vendas nas lojas físicas, assim, o lojista deve ficar atento à legislação do e-commerce. As leis do consumo preveem direito de arrependimento e exigem que site informe CNPJ, endereço e meio de contato em local visível.

    O consumidor também deve ficar atento e prevenido. A orientação é que faça uma foto ou print da tela do computador ou celular, mostrando com clareza as informações do produto, da loja e da compra, como dada, hora, preço, endereço, além de salvar o link do site que foi feita pesquisa. Dessa forma, em qualquer imprevisto, o órgão poderá verificar se a oferta foi cumprida ou não.

    Ocorrências

    Apenas na Black Friday do ano passado o Procon-Manaus registrou mais de cinquenta procuras por parte de pessoas que se sentiram lesadas.  “A gente sabe que esse número é bem maior, mas a maioria da população não conhece seus direitos e acaba sendo lesada. A gente precisa estar informando constantemente”, completou o coordenador.

    No dia 24 de novembro o Procon-Manaus vai estar de plantão de atendimento para que as pessoas que se sentirem lesados possam entrar em contato imediatamente para tirar alguma dúvida ou até mesmo para acionar a equipe de fiscalização do órgão. Os interessados em qualquer demanda no Procon-Manaus podem entrar em contato no número 0800 092 0111.

    Leia mais: 

    Uber perde recurso em Londres sobre salário mínimo a motoristas
    Golpe de whatsapp promete maquiagem de o Boticário de graça

    Municípios amazonenses receberam repasses bilionários, aponta Serafim Corrêa