Fonte: OpenWeather

    contas atrasadas


    Mora no Viver Melhor e quer negociar seu débito de água?

    Empresa concessionária Manaus Ambiental atende os moradores no Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Professor Carlos Frota de Medeiros

    O atendimento no Viver Melhor prossegue até o próximo dia 26 de janeiro. | Foto: divulgação

    Manaus - Moradores do residencial Viver Melhor que possuem contas de água atrasadas podem negociar os débitos diretamente com a Manaus Ambiental, sem precisar sair do conjunto, localizado no bairro Santa Etelvina, Zona Norte. Uma equipe da concessionária está no local diariamente, há aproximadamente 20 dias, para prestar o atendimento comercial.

    O serviço abrange desde a negociação, com descontos nas dívidas dos clientes, assim como a orientações sobre consumo e tarifa social.

    Leia também: Já pensou em viajar para Argentina? Agora pode ser mais fácil

    O atendimento itinerante é realizado de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 15h, no Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Professor Carlos Frota de Medeiros. 

    Para participar, o cliente precisa apresentar os documentos de identidade e CPF, além de uma fatura atualizada da Manaus Ambiental.

    A negociação pode ser feita no próprio local, para pagamentos por meio de cartão de crédito ou débito. Mas, o cliente precisará ir a uma agência bancária ou casa lotérica, caso opte pelo pagamento em dinheiro.

    Mesmo beneficiada pela tarifa social, que garante 50% de descontos para quem consome até 15 metros cúbicos de água, boa parte dos moradores tem extrapolado na utilização do produto que, muitas das vezes, chega até 40 metros cúbicos, reduzindo muito o efeito positivo dos descontos, caso se mantivesse com um consumo mais controlado.

    O atendimento no Viver Melhor prossegue até o próximo dia 26 de janeiro.

    Edição: Lívia Nadjanara

    Leia mais: 

    Benefício de aposentados e pensionistas tem reajuste de 2,07%

    Espuma contaminada se forma no igarapé do São Jorge

    Há exatos 29 anos, assassinos silenciavam a voz do ambientalista Chico Mendes