Fonte: OpenWeather

    Quarentena


    Confira dicas para manter resultados de procedimentos não invasivos

    Intervenção estética está relacionada à qualidade de vida

    Confira medidas que podem ser adotadas durante a quarentena para potencializar os efeitos dos procedimentos estéticos | Foto: Reprodução/Internet

    Manaus - Pacientes que realizam regularmente tratamentos não invasivos, como a aplicação de toxina botulínica e a realização de preenchimentos dérmicos, não sabem mais quando poderão agendar sua próxima consulta. Como, então, é possível manter os resultados do tratamento mais recente enquanto estiver em quarentena?

    Tratamentos cosméticos costumavam significar fazer uma cirurgia plástica tradicional, como um lifting facial ou abdominoplastia, o que exige anestesia geral, corte e sutura da pele, risco significativo de cicatrizes e dias ou semanas de recuperação. Mas recentemente, este conceito vem se modificando, com a oferta dos procedimentos minimamente invasivos – dermoabrasão, laser, peeling químico, plasma rico em plaquetas, preenchimento cutâneo, toxina botulínica – praticamente sem riscos, sem cicatrizes e sem tempo de inatividade.

    Conversamos com o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada, que listou medidas que podem ser adotadas durante a quarentena para potencializar os efeitos dos procedimentos estéticos. Veja o que o médico listou:

    Evite o sol

    Independentemente de você realizar ou não procedimentos não invasivos, minimizar o risco de exposição ao sol é um bom hábito. “Os danos causados pelo sol na pele são a principal causa de rugas. A toxina botulínica tende a ser ineficaz contra essas rugas, uma vez que não envolvem os músculos subjacentes”, explica Ruben Penteado, que é membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

    Minimizar o risco de exposição ao sol é um bom hábito, afirma o cirurgião
    Minimizar o risco de exposição ao sol é um bom hábito, afirma o cirurgião | Foto: iStock

    Muitas pessoas podem estar passando mais tempo ao ar livre para acabar com a monotonia da quarentena. “Embora isso seja compreensível, uma boa regra geral, se você passar um tempo fora, é aplicar protetor solar com um alto FPS no rosto, pescoço e mãos. E sim, aplicar protetor solar mesmo em dias nublados”, recomenda o médico.

    Manter uma boa rotina de cuidados com a pele

    Os cuidados com a pele devem ser respeitados durante o isolamento
    Os cuidados com a pele devem ser respeitados durante o isolamento | Foto: Reprodução/Internet

    O cuidado contínuo com a pele garantirá que ela permaneça mais jovem por um longo período. Como a maioria das pessoas está em casa durante esse período, esta é a oportunidade perfeita para iniciar e manter um bom regime de cuidados com a pele, se você ainda não o tiver. “Aplique hidratante na pele diariamente e mantenha-se bem hidratado bebendo muita água. Produtos de limpeza próprios para a sua pele também podem ajudar a maximizar os resultados”, observa o cirurgião plástico.

    Tomar suplementos de zinco

    Tomar suplementos de zinco pode ajudar a prolongar os efeitos da toxina botulínica, aponta o médico
    Tomar suplementos de zinco pode ajudar a prolongar os efeitos da toxina botulínica, aponta o médico | Foto: Reprodução/Internet

    Vários estudos demonstraram que a toxina botulínica reage diretamente aos níveis de zinco em nossos corpos e que a suplementação com zinco pode aumentar os efeitos da toxina botulínica em até 30%. Como muitas pessoas têm uma ligeira deficiência de zinco, tomar suplementos de zinco pode ajudar a prolongar os efeitos da toxina botulínica, sem mencionar o reforço ao sistema imunológico, que é especialmente importante no ambiente atual. “O importante é fazer a suplementação com orientação médica. A telemedicina pode auxiliar o paciente neste momento”, diz o diretor do Centro de Medicina Integrada.

    Não se estresse

    Existem muitos efeitos negativos que o estresse causa ao corpo. Hoje, as pessoas estão muito preocupadas com a saúde e com a situação econômica. Embora possa ser difícil evitar o estresse em meio a uma pandemia, estudos têm demonstrado que o estresse pode acelerar o processo de envelhecimento.

    Estudos têm demonstrado que o estresse pode acelerar o processo de envelhecimento
    Estudos têm demonstrado que o estresse pode acelerar o processo de envelhecimento | Foto: Reprodução/Internet

    “Se o paciente está acostumado a fazer tratamentos não invasivos regularmente, pode estar preocupado com a própria aparência à medida que os resultados desaparecem. Como resultado, muitos ficam tentados a se olhar constantemente no espelho, franzindo a testa ou apertando os olhos, o que estimulará os músculos e fará com que se perca o efeito da toxina botulínica ou dos preenchimentos mais rapidamente”, orienta o médico.

    Manter contato com um cirurgião plástico

    “Muitos cirurgiões plásticos estão oferecendo consultas on-line, mantendo o distanciamento social. Se você realiza procedimentos não invasivos regularmente, considere entrar em contato com seu cirurgião plástico por meio de consulta on-line para discutir opções estéticas enquanto estiver em casa e criar um plano para retomar os tratamentos assim que a crise do coronavírus passar”, recomenda Ruben Penteado.

    E se você ainda não realizou um procedimento não invasivo, mas deseja fazer mudanças no visual, após a pandemia, consulte um cirurgião plástico também. O tempo em quarentena também pode ser uma oportunidade para pesquisar tratamentos estéticos, bem como cirurgiões plásticos certificados em sua área, para que, quando as coisas voltarem ao normal, você esteja pronto para colocar a aparência em dia.

    Manter a qualidade de vida e saúde mental é essencial durante a quarentena
    Manter a qualidade de vida e saúde mental é essencial durante a quarentena | Foto: Freepik

    Qualidade de vida e saúde mental

    As pessoas que escolhem fazer procedimentos cosméticos minimamente invasivos o fazem porque querem se sentir bem, não apenas pela boa aparência, aponta uma nova pesquisa.

    “Procedimentos minimamente invasivos podem realmente fazer com que alguém pareça naturalmente jovem e bonito. E o cirurgião plástico pode auxiliar o paciente a compreender quais procedimentos minimamente invasivos são úteis, em cada caso em particular, e quais não ajudam”, afirma o diretor do Centro de Medicina Integrada.

    *Com informações da assessoria