Fonte: OpenWeather

    Cuidados com a pele


    Saiba os riscos de usar produtos vencidos na pele

    Dermatologistas alertam que as alergias provocadas por produtos vencidos podem ser graves

    O prazo de validade de cosméticos, produtos de higiene pessoal e perfumes é definido pela Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa) | Foto: Divulgação

    Manaus - Sabe aquele creme hidratante que você não usa há séculos? E o perfume que já dura quase cinco anos porque você usa pouco? Cuidado! Além de perder o efeito, o produto pode fazer mal à sua pele. Dermatologistas alertam que o uso dos produtos vencidos pode provocar reações alérgicas graves.

    O prazo de validade de cosméticos, produtos de higiene pessoal e perfumes é definido pela Agência Nacional de Vigilância em Saúde (Anvisa) como tempo em que o produto mantém suas propriedades, quando conservado na embalagem original e sem avarias, em condições adequadas de armazenamento e utilização. As empresas brasileiras são obrigadas a apresentar na embalagem a data estipulada de tempo útil do produto.

    Qualquer produto possui dois prazos de validade: o antes de ser aberto e depois. Um produto pode ter validade de dois anos quando lacrado e um ano depois de aberto. Quando em uso, a preferência é que sua duração não demore muito, pois a exposição do produto ao calor, poeira ou até umidade podem fazer com que ele perca o efeito indicado e dê origem a uma proliferação de fungos e bactérias, causando reações contrárias.

    A dermatologista Rima Raad, explica sobre os riscos de utilizar qualquer tipo de produto fora do prazo de validade e alerta que a alergia na pele pode se espalhar por todo o corpo. “Quando utilizamos produtos de beleza vencidos, corremos o risco de provocar reações alérgicas na pele, além disso, podemos causar também dermatite, queimadura, acne e favorecer a proliferação de bactérias e fungos. As principais são dermatites de contato alérgica e irritativa“.

    A dermatite irritativa é a mais comum e apresenta três fases: a aguda, subaguda e a crônica. No estágio mais avançado, há uma alteração na pele, causando extrema secura na pele e linhas profundas como “rachaduras” podem ser vistas. As reações alérgicas causadas por produtos vencidos vão desde a vermelhidão no local de aplicação até inchaços. A dermatologista e membra da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Jessica Castiel, explica quais são os principais sintomas da reação.

    “Pode surgir vermelhidão local, ardência, descamação, coceira e nos casos mais graves, inchaço (edema) no local onde foi aplicado o produto. A primeira medida é sempre remover o produto aplicado na pele, de preferência com água corrente. Nos casos leves, hidratar a região pode ser suficiente para controlar a reação. Nos casos moderados ou graves, é necessário procurar atendimento dermatológico para que sejam prescritos medicamentos para tratar o quadro”, explica Jessica.

    A dermatologista indica o descarte imediato do produto vencido
    A dermatologista indica o descarte imediato do produto vencido | Foto: Divulgação

    Caso o cosmético ou produto seja comprado fora do país e não tenha indicação de validade na embalagem, ou essa data já esteja apagada, vale verificar aspectos como cor, cheiro e textura, como em casos de produtos líquidos que, depois de certo tempo de uso, se tornam bifásicos. As maquiagens também devem ser usadas com atenção. As sombras, bases ou pós podem causar acne e irritação no rosto.

    Muitas vezes, mesmo sendo determinado pela Anvisa, os fabricantes não informam datas para a validade dos cosméticos. Para evitar o uso errado, Jessica Castiel explica o que pode ser feito. “Para os casos que não for possível identificar o prazo, alguns cosméticos apresentam na embalagem um símbolo que informa por quanto tempo o produto aberto pode ser utilizado. Além disso, outras formas de identificar são observar a cor e cheiro do produto, se você notar algo diferente no produto, a melhor opção é descartá-lo para evitar quaisquer reações”.

    A Dra. Rima dá dicas do que fazer para tentar evitar que os produtos se percam ou apresentem efeito indesejado. “Menos é mais. Essa tendência europeia de minimalismo no consumo cosmético tem sido bacana, compre somente o que irá usar, evite exagero no número de produtos e consequentemente diminuirá a chance de perder o prazo de validade deles. Procure também guardar os seus produtos em locais secos e arejados, lembrando de sempre fechar o pote após uso.  É importante para quem usa maquiagem manter os pincéis sempre limpos para evitar contaminação bacteriana”.

    Outras dicas para não correr o risco são:

    - Usar produtos certos para cada parte do corpo;

    - Verificar se os produtos são certificados pela Anvisa;

    - Não deixar cosméticos exposto à luz solar;

    Leia mais

    Copaíba e andiroba, óleos medicinais da Amazônia

    Conheça os benefícios do Capim-santo para a saúde

    Doenças como psoríase e vitiligo podem se agravar na pandemia