Fonte: OpenWeather

    Saúde vaginal


    O que é o mioma uterino e quando é necessário se preocupar?

    Especialista explica que tumores podem aparecem em diversos locais do útero e em tamanhos variados

    O diagnóstico do mioma pode ser realizado através da ultrassonografia pélvica ou pelo ultrassom transvaginal
    O diagnóstico do mioma pode ser realizado através da ultrassonografia pélvica ou pelo ultrassom transvaginal | Foto: Reprodução Internet

    Manaus –  O mioma uterino, também chamado de fibroma do útero, é um tumor benigno que pode afetar muitas mulheres. Devido a desordem hormonal é causado um enovelamento das fibras musculares, formando nódulos no útero. O mioma é um problema muito comum e quase silencioso.

    O que pode causar o aparecimento do mioma?

    As causas são desconhecidas,mas deve-se levar em consideração o histórico familiar, outros fatores que podem aumentar o risco são a obesidade e a nuliparidade (não ter filhos).

    O ginecologista e obstetra Thiago Gester, revela que os sintomas mais prevalentes são aumento do fluxo menstrual, dor pélvica, infertilidade e aumento do volume abdominal. Porém que a atenção deve ser redobrada, pois em algumas situações os sintomas não aparecem.

    Diagnóstico do mioma

    O diagnóstico do mioma pode ser realizado por meio da ultrassonografia pélvica ou pelo ultrassom transvaginal.

    Quando o tumor é pequeno apenas o ultrassom transvaginal pode identificá-lo. Em casos de tumores maiores é importante que seja feito pela via pélvica e pela via transvaginal.

    Tipos de miomas

    Gester também explicou sobre os três tipos existentes, entre eles: submucoso, subseroso e intramural. “Submucoso - localiza-se na parede interna do útero, podendo afetar o endométrio; Subseroso - localiza-se na parte de fora das paredes uterinas; Intramural está na cavidade muscular, entre as paredes do útero”, explica.

    Tenho mioma, isso quer dizer que não posso engravidar ?

    O ginecologista pontou que mulheres que possuem algum tipo de mioma podem ter mais riscos de aborto e dificuldades para engravidar, mas que podem procurar por tratamento, feito com medicamentos ou cirurgia.  

    “Quando falamos em reprodução, as pacientes com mioma possuem mais risco de aborto e um pouco mais de dificuldade de engravidar.  O tratamento pode ser feito por meio de medicamentos hormonais ou cirurgia”, revela.

    Quando operar? 

    Com um sistema de bisturi elétrico,  os miomas submucosos podem ser retirados com próprio histeroscópio. Normalmente é realizada em ambiente hospitalar, mas pode ser feita ambulatoriamente. O pós-operatório é tranquilo e a maioria das mulheres não sente dor. 

    "Se não maiores que 5cm, recomendo a cirurgia, caso contrário, não. Desde que eles sejam submucosos e não estejam interferindo na cavidade uterina. Se o volume uterino for muito grande, também costumo indicar a cirurgia", afirma o especialista.

    Leia Mais:

    Ginecologista recomenda uso do óleo de coco nas partes íntimas

    Sexo depois da menopausa: como manter o desejo nessa fase da vida

    Coceira na parte íntima? Veja 10 doenças que estão por trás disso