Fonte: OpenWeather

    Pandemia


    Menstruação desregulada durante a Covid; entenda

    Mulheres que tiveram covid relatam alteração no ciclo menstrual. Mudança na rotina e o estresse da situação influenciam diretamente no ciclo menstrual

    Algumas mulheres reclamam de atrasos ou que o ciclo antecipou durante a Covid-19 | Foto: Reprodução

    Manaus (AM) - A menstruação atrasou ou adiantou alguns dias? Veio em maior ou menor volume? Ou nem desceu? Calma, pode ser normal. Afinal, estamos vivendo uma pandemia e os nossos hábitos estão todos bagunçados. O EM TEMPO conversou com ginecologistas e obstetras  para explicar as possíveis irregularidades do ciclo menstrual durante os dias de confinamento na pandemia.

    Algumas mulheres reclamam de atrasos ou que o ciclo antecipou. Ainda há aquelas que relatam alterações significativas no fluxo e tempo de duração. Segundo especialistas, a Covid pode ter relação com as mudanças.

    Julia Silva teve covid-19 junto com a menstruação. Ela conta que ficou menstruada por vários dias. "Além disso, mexeu com a coagulação da menstruação".

    "Aconteceu comigo. Peguei covid em novembro e atrasou oito dias minha menstruação. Peguei novamente em dezembro e aí antecipou dez dias. E agora [antecipou], de novo, mais 15 dias", diz Mara Couto.

    A primeira ressalva dos especialistas é que essas mudanças no organismo são normais apenas para as mulheres que não fazem uso de nenhum tipo de hormônio por meio de métodos contraceptivos, como pílula, injeção e DIU hormonal. 

    Segundo o ginecologista e obstetra Alexandre Pupo, dos Hospitais Sírio Libanês e Albert Einstein, de São Paulo, ainda não há estudos científicos que abordam especificamente os impactos do coronavírus sobre a menstruação. Apesar disso, dependendo da resposta imunológica do organismo, o especialista acredita que possam ocorrer alterações.

    "O fluxo de sangue menstrual cessa, em parte, pela ação hormonal e, em outra parte, pela ação de coagulação do sangue. Sabemos que processos inflamatórios (como a covid) no útero aumentam o fluxo menstrual, podendo levar a um incremento no processo inflamatório e coagulação do corpo. Então, dependendo da resposta imunológica, a mulher pode ter alterações hormonais", explicou Pupo à Revista Crescer.

    Menstruação atrasada nem sempre é sinal de gravidez

    A menstruação atrasada nem sempre é sinal de gravidez, pois outras situações como o estresse em excesso, emoções muito fortes, alterações hormonais ou mesmo o consumo exagerado de cafeína ou de bebidas alcoólicas, podem levar ao atraso da menstruação.

    "Algumas coisas podem atrasar a menstruação como: uso de medicações (pílula do dia seguinte, dentre outras), desordens endócrinas (hipo ou hipertireoidismo), aumento da prolactina, ovários policísticos, estresse ou ansiedade, rápida perda ou ganho de tecido gorduroso e privação do sono. Ou seja, nessas situações, procure seu ginecologista", orienta ao EM TEMPO, o ginecologista Thiago Gester

    Como normalizar?

    O mais importante é tentar manter minimamente uma rotina e buscar reduzir o estresse, resume Gester. Os médicos recomendam seguir uma dieta equilibrada, consumindo mais legumes, verduras, frutas, e menos carboidratos e açúcares. Também ajudam no processo incluir momentos de lazer e práticas que baixem a ansiedade, como ioga e meditação, para amenizar os picos de estresse no organismo, que levam à desordem metabólica e hormonal. 

    Leia Mais

    Sangue menstrual pode revelar mais do que você imagina; saiba como

    Exames de rotina auxiliam no rastreio do câncer de endométrio