Fonte: OpenWeather

    Superação


    No AM, atleta vence leucemia e conquista medalha de ouro no Jiu-Jitsu

    Após ser diagnosticado com leucemia, Francisco Garcia mudou-se para Manaus e, depois de vencer a doença, voltou a praticar o Jiu-Jitsu

    Francisco foi alertado por amigos para procurar um médico depois de ter febre
    Francisco foi alertado por amigos para procurar um médico depois de ter febre | Foto: Bruna Souza

    Manaus - Após ser diagnosticado, em 2006, com leucemia mieloide crônica (LMC), o atleta Francisco Garcia, de 45 anos, venceu a doença e conquistou a primeira medalha de ouro em um campeonato de jiu-jitsu. Ele era professor de educação física em uma escola do estado do Pará e, quando foi diagnosticado com leucemia, teve que dar uma parada na profissão e vir para Manaus cuidar da saúde.

    "Sempre fui uma pessoa que procurei me cuidar, praticava esporte, canoagem, jiu-jitsu e ciclismo. Eu soube da doença durante os treinamentos. Comecei a perceber que existia algo errado com o meu corpo, foi muito difícil, achei que estava tudo acabado. Eu fiquei psicologicamente abalado, pensando que nunca mais poderia praticar aquilo que eu gostava", disse Francisco.

    Leia também: Campeonato de Futebol de Mesa agitou o fim de semana em Manaus

    Depois de sentir uma forte febre e dores no corpo, amigos do atleta o alertaram para que ele procurasse um médico. Ele procurou os profissionais da saúde e foi diagnosticado com gripe. Na ocasião, o professor tomou remédios e achava que estava curado. Entretanto, ele ficou assustado quando voltou a praticar atividades físicas e sentiu que o corpo estava mais sensível que o normal.

    O atleta teve que se mudar para Manaus para dar inicio ao tratamento
    O atleta teve que se mudar para Manaus para dar inicio ao tratamento | Foto: Bruna Souza

    "Como lá no Pará não tem o suporte que existe aqui em Manaus, eu tive que me mudar para a cidade no início do meu tratamento. Passei cerca de seis anos aqui e, atualmente, eu vou e volto a cada quatro meses. Nessas idas e vindas, eu fui fazendo o tratamento e voltei a praticar as atividades. Comecei com aquelas que não me deixavam debilitado", explicou o atleta.

    Ainda confirme Francisco, buscar esperança na fé foi o que o fez querer viver novamente. Ele encontrou na prática de esportes, a razão para continuar lutando pelo que gosta.

    "Só tenho praticado o jiu-jitsu atualmente. Por mais difícil que as coisas sejam, as pessoas não podem desistir. Os obstáculos foram feitos para superarmos, nada vem fácil", finalizou Francisco.

    Leia mais: 

    Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 14 milhões na 4ª feira

    Prefeitura de Borba abre 326 vagas para concurso público

    Passou no concurso da CMM? Entrega de documentos começa nesta segunda