Karatê virtual


Com 'gringos', Amazonas promove 1º Campeonato Virtual de Karatê

1º Campeonato virtual de karatê do Amazonas, organizado pela academia Hien Kan, de Manaus, reúne atletas também internacionais na disputa da modalidade Kata

| Foto: Divulgação

Manaus - O 1º Campeonato Virtual de Karatê do Amazonas ocorreu no último sábado (13). Organizado pela Associação Hien Kan e com chancela da Federação Amazonense de Karatê (FAK), com o presidente Washington Melo, o torneio reuniu atletas de Canadá e Argélia na disputa da modalidade Kata. 

Ao todo, 157 atletas disputaram as 32 categorias na modalidade Kata - luta imaginária -por meio de vídeos, que foram encaminhados aos árbitros pelos organizadores via WhatsApp. Kario Lucena e Alessandro Silveira foram os responsáveis por trazer a primeira edição para o Amazonas, após acompanhar as vitórias dos filhos em torneios de outros Estados.

"Meu filho Jean tem déficit de atenção e hiperatividade. Por orientação médica, colocamos ele no karatê, com 5 anos de idade. Daí não parou, foi campeão carioca, campeão amazonense e, durante a pandemia, tem participado por diversos campeonatos virtuais no Brasil, mas não tinha ainda um do Amazonas. Conversamos com o Sensei Washington e decidimos fazer um aqui", conta Alessandro Silveira.

Jean Lucas Silveira foi campeão na categoria Sub-12 , de 10 a 11 anos, das faixas Branca a Verde Masculina. Esta foi a quinta vez em que esteve no ponto mais alto do pódio, de sete torneios virtuais disputados - os outros dois terminaram na segunda colocação. 

"A princípio, íamos fazer apenas com atletas da região, mas como a procura foi baixa, expandimos para os grupos que conhecemos, de atletas internacionais. O campeonato foi muito legal, a qualidade muito alta e estamos nos aperfeiçoando, vendo os formatos dos campeonatos e teremos mais. Foi muito interessante para o Amazonas, não poderíamos ficar de fora desses campeonatos", afirma Kairo Lucena, que avalia o evento com a nota dez.

Kayane Lucena é uma das atletas destaques do karatê amazonense. A pequena é campeã brasileira de karatê e foi líder no ranking estadual e terceira colocada no nacional. No torneio do último sábado, saiu com a medalha de ouro da categoria Sub-10, de 8 a 9 anos, faixas Branca a Verde.

"Achei muito legal para os atletas se estimularem, sempre competindo, sempre treinando. A Kayane teve um pouco de dificuldade no início para lembrar alguns movimentos do Kata, pelo tempo sem treinar. Então, a gente vai se aperfeiçoando, até superar essa situação do coronavírus", acrescenta Kario.

Minas Gerais foi o Estado líder na classificação geral de medalhas, com 24. Na soma, estão oito de ouro, 12 de prata e quatro de bronze. Na sequência, o Distrito Federal aparece com o maior número de medalhas de ouro: 15. Outras seis de prata e duas de bronze completam as 23 medalhas conquistadas. 

O Amazonas, por sua vez, aparece na quarta colocação, atrás de São Paulo (14), contabilizando seis medalhas de ouro, quatro de prata e três de bronze. O Canadá deixou a competição com uma medalha de ouro, enquanto a Argélia acumulou cinco bronzes.

"Esses eventos [virtuais] estão tomando proporções gigantescas no Brasil e no mundo e nós não pudemos ficar de fora. [...] Eu não poderia deixar de agradecer a todos e também lembrar a importância desse evento tendo em vista a participação de atletas do nosso Estado, de todo o Brasil e de países como a Argélia e o Canadá; ou seja, tomou uma proporção acima do esperado, aumentando nossa responsabilidade", afirmou Washington Melo, em publicação no Instagram.

Infográfico informativo sobre as modalidades do karatê: Kata e Kumitê
Infográfico informativo sobre as modalidades do karatê: Kata e Kumitê | Foto: Desirée Souza/ Em Tempo