Fonte: OpenWeather

    Esportes


    STJD interdita setor da Arena Corinthians após briga em clássico

    Arena Corinthians está interditada e não pode receber jogos do Campeonato Brasileiro - foto: Daniel JR/Corinthians
    Arena Corinthians está interditada e não pode receber jogos do Campeonato Brasileiro - foto: Daniel JR/Corinthians

    O presidente do STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), Ronaldo Botelho Piacente, deferiu na noite desta terça-feira (20) o pedido da Procuradoria para interdição do setor norte da Arena Corinthians, destinado às torcidas organizadas.

    A denúncia é referente à confusão ocorrida na partida entre Corinthians e Palmeiras, no último fim de semana, pelo Campeonato Brasileiro.

    O presidente do STJD determinou a interdição do setor norte do estádio, onde ocorreu o confronto entre torcedores de organizadas do Corinthians com a Polícia Militar.

    Segundo comunicado oficial no site do tribunal, a interdição deve ser mantida até que o Corinthians comprove que o local está em condições de segurança e com os devidos consertos dos objetos quebrados na briga.

    Além disso, o Corinthians está proibido de vender ou ceder ingressos para os integrantes das torcidas organizadas Gaviões da Fiel e Estopim da Fiel até que o processo seja julgado no STJD.

    Piacente explicou a decisão ao afirmar que "há fundado receio de dano irreparável (grave ameaça da torcida organizada praticar violência), bem como que a sociedade espera da Justiça Desportiva uma resposta imediata em casos de tamanha gravidade".

    A Procuradoria também denunciou o Corinthians devido ao uso de sinalizadores nos setores norte e sul da Arena. E o juiz Heber Roberto Lopes relatou na súmula do clássico que a equipe de arbitragem e integrantes da delegação do Palmeiras foram alvos de cuspidas dos torcedores na saída do gramado.
    Diante disso, o Corinthians foi denunciado em três artigos: 191, inciso III, por descumprir o Regulamento Geral das

    Competições ao permitir a entrada de sinalizadores; 213, inciso I, pelas desordens ocorridas no estádio, e inciso III, pelo lançamento de objetos; e 211, por não manter as condições de segurança adequadas.

    As penas previstas são de multa de até R$ 100 mil em cada artigo, cabendo ainda punição com perda de até 10 mandos de campo no artigo 213.

    Por Folhapress