Fonte: OpenWeather

    Esportes


    Correios cobram esclarecimento e podem suspender patrocínio à CBDA

    Presidente da entidade, Coaracy Nunes defende CBDA e empresa acusada, e vê perseguição de rival em denúncia do MPF - foto: divulgação
    Presidente, Coaracy Nunes defende CBDA e empresa acusada, e vê perseguição de rival em denúncia do MPF - foto: divulgação

    Com base em cláusula contratual, os Correios estudam suspender o acordo que têm com a CBDA (Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos), que foi alvo de investigação do Ministério Público Federal em São Paulo. A procuradoria pediu o afastamento e bloqueio de bens de integrantes da cúpula da entidade.

    À Folha de S. Paulo, a assessoria de imprensa da estatal afirmou que há "hipóteses previstas em contrato" que dispõem sobre envolvimento das partes em inquéritos. E, a partir disso, o vínculo poderia ser rompido.

    Os Correios também disseram ter solicitado à CBDA acesso à denúncia do MPF. Além disso, eles cobraram "esclarecimento sobre o assunto".

    A confederação é patrocinada pela empresa desde 1991, em um dos duradouros acordos de apoio do esporte olímpico brasileiro.

    Apenas para o ciclo olímpico Londres-Rio, a estatal despejou R$ 95 milhões nos cofres da entidade esportiva, que regula cinco modalidades (natação, nado sincronizado, saltos ornamentais, maratona aquática e polo aquático).

    Os contratos são bienais, por exemplo, 2012/2014 e 2014/2016 -a cada dois anos, cerca de R$ 2 milhões são liberados mensalmente.

    O atual contrato se encerra no mês de novembro. "Possível renovação está em fase de análise na empresa. Ainda não temos definições neste momento", disse a empresa.

    Os Correios passam por severa crise financeira após ter prejuízo de R$ 2,1 bilhões em 2015. Neste ano, cortaram parte do repasse que fariam à CBDA, à CBT (Confederação Brasileira de Tênis) e à CBHb (Confederação Brasileira de Handebol).

    Por Folhapress