Fonte: OpenWeather

    Esportes


    Caratê às margens do rio Negro, na Ponta Negra

    Francisco Alves Filho (no centro) ministrou “aulão” na praia da Ponta Negra - fotos: Arthur Castro

    Com objetivo de massificar o esporte e mostrar as técnicas da modalidade, Francisco Alves Filho, 46, “Chiquinho do Brasil e Filho do Japão”, Shihran faixa preta 6º dan, realizou uma aula demonstrativa de Karate Kyoskushin Oyama para lutadores em Manaus. O “aulão” aconteceu às margens do rio Negro, na praia da Ponta Negra, na quinta-feira (16), com duração de duas horas.

    O consagrado lutador brasileiro, reconhecido por conquistas em âmbito internacional e com o recorde de ter completado o teste de cem lutas consecutivas em 1995, todas no Japão, mostrou um pouco de sua experiência ao longo de sua carreira na modalidade em sua passagem por Manaus.

    De acordo com Chiquinho, que é presidente há 12 anos da Confederação Brasileira e da Organização Sul-Americana de Karate Kyoskushin Oyama, a modalidade é praticada em cerca de oito Estados no Brasil e em mais de cem países no mundo por cerca de 12 milhões de esportistas, mas ainda precisa de um incentivo muito maior para se tonar mais conhecida e praticada.

    O “aulão” aconteceu às margens do rio Negro, na praia da Ponta Negra

    “Nós fizemos essa aula como se fosse uma apresentação, para que as pessoas conheçam mais sobre a nossa modalidade. A intenção é nós crescermos ainda mais com o Karate Kyoskushin Oyama, e o intuito do treino de hoje (ontem) é poder divulgar e aumentar o número de adeptos aqui em Manaus”, disse o presidente da Confederação Brasileira.

    Considerado uma lenda do Kyoskushin Oyama mundial, o lutador baiano declarou que a modalidade é diferente de outros estilos do caratê e relatou um pouco da história, das dificuldades e de todo sacrifício do mestre que difundiu a arte para o mundo.

    “O Kyoskushin foi o pioneiro no contato, até então era de marcação, os golpes não eram reais. O mestre Oyama, fundador do estilo, achou que não era justo a luta daquela maneira e queria saber a força real dos golpes. Isso foi há mais de 50 anos que ele desenvolveu essa técnica. O resultado disso foi a adesão de muitos adeptos em todo mundo”, completou

    Realidade local

    O presidente da Federação Amazonense de Karate Kyoskushin Oyama, Alexandre Maia Lopes, faixa marrom e reeleito para dois anos de mandato na última quarta-feira (15), contou que a vinda de renomado carateca mundial só vai contribuir para a massificação do esporte no Estado.

    “É uma grande honra e satisfação a presença do Francisco Filho aqui. A presença dele, de atualizar e trazer novos conhecimentos e sua técnica, só vem para ajudar e contribuir conosco. Com certeza, essa aula foi um aprendizado também para os lutadores”, avaliou Lopes.

    Em sua passagem por Manaus, “Chiquinho” ministrou um curso técnico para os caratecas da faixa marrom e preta, na terça e quinta-feira (14 e 15), com a participação de 18 lutadores, na Academia Matriz, na Praça 14 de Janeiro.

    Paulo Rogério

    EM TEMPO