Fonte: OpenWeather

    Esportes


    Ex-zagueiro Oziel encerra a carreira para virar segurança

    O ex-atleta foi campeão amazonense da Série A, em 2001, pelo Rio Negro - Arquivo Pessoal

    Responsável por infernizar a vida dos atacantes e dificultar os gols dos adversários, o momento mais esperado em uma partida de futebol, o ex-zagueiro Oziel, 41, encerrou a vitoriosa carreira de jogador profissional para assumir a função de segurança patrimonial, em Macapá. Deixou a vida de armário e capitão em suas duplas de zaga pela de sentinela. Afinal, trocou as chuteiras pelos coturnos e munições de calibre 38.

    Como atleta Oziel foi campeão amazonense da Série A, em 2001, pelo Rio Negro e da Série B de 2008 pelo CDC Manicoré, pentacampeão roraimense de 2002 a 2006 pelo Atlético-RR e tricampeão amapaense em 2013 e 2015/2016 pelo Santos-AP.

    No dia em que se comemora o Dia do Segurança (20/06), ele nos conta que segue a vida feliz na nova carreira e que sente saudades dos gramados.

    O macapaense Oziel conta que largou o futebol, devido o corpo não obedecer mais como há 15 anos atrás

    “Foi muito boa a carreira, fiz amigos e conheci grandes lugares. Sinto saudade dos estádios lotados e dos gritos da torcida, é impossível não lembrar. Mas, não tem como largar a carreira de segurança, não dá para conciliar, não tem como mudar, pois estou estabilizado nessa profissão hoje. Fico feliz em poder contribuir com a segurança da sociedade, poder ajudar todos, apesar de novo nesta área, faço de tudo para ajudar da melhor forma possível”, disse o ex-beque, que assinou contrato com sua primeira seguradora, em 2013, empresa do presidente do Santos-AP, Luciano Marba.

    O macapaense Oziel conta que largou o futebol, devido o corpo não obedecer mais como há 15 anos atrás. Ele também relembra os amigos que fez no esporte bretão e os momentos que liderou suas equipes portando a faixa de capitão.

    “Os títulos e a oportunidade de poder fazer amigos com pessoas de outros estados é muito bom. Entrelaçar um legado é muito legal, poder ensinar e poder aprender mais ainda, deixar as portas abertas por onde passei é de deixar contente, mas as pernas não obedecem e, infelizmente, tenho que parar de jogar”, disse o ex-jogador, que também vestiu as cores de Mogi Mirim, Francana e União São João-SP, Vila Nova e Crac-GO, Princesa do Solimões e Nacional-AM.

    Planos futuros

    Oziel explica que em outubro irá ao Rio de Janeiro para fazer um curso de treinador

    Oziel explica que em outubro irá ao Rio de Janeiro para fazer um curso de treinador na Confederação Brasileira de Futebol (CBF). “Corre nas veias o futebol, vou no estádio assistir os jogos, comecei a jogar muito cedo futebol. Tenho um projeto de montar uma escolinha de futebol, retirar crianças da marginalidade, para que fortaleçam um laço familiar e que descubram novos talentos em Amapá. A geração de hoje precisa ter uma visão melhor do futebol brasileiro”, planeja.

    Oziel diz que sempre é reconhecido nos horários de serviço e que os mais fanáticos pedem para ele voltar a jogar pelo Santos-AP. “Sempre tem um torcedor que me vê em serviço e me deseja boa sorte nesta nova jornada. Sempre pedem para eu ir aos jogos passar segurança aos mais novos. E, também para eu voltar a jogar profissionalmente. Até tive uma proposta do Trem-AP para jogar a Série D 2017, mas não vingou e continuo feliz”.

    João Paulo Oliveira
    EM TEMPO