Fonte: OpenWeather

    Esportes


    Artilheiro da Série D: Weverton do Princesa vibra com melhor fase da carreira

    jogador Weverton do Princesa do Solimões
    Jogador é artilheiro da série D

    Seis gols em seis partidas. Média de um tento por jogo, o que lhe rendeu a artilharia isolada da Série D do Campeonato Brasileiro. Esses são os números do atacante Weverton, do Princesa do Solimões, que aos 23 anos vive a melhor fase de sua carreira. Revelado nas categorias de base do Nacional, o jogador já atuou por diversos clubes do futebol amazonense, em nenhum, porém, marcou tantas vezes como agora.

    “Estou super feliz de estar vivendo esse momento na minha carreira. Sem dúvida é a melhor fase que estou passando como jogador e atleta. Os gols estão saindo naturalmente, estou feliz de poder estar ajudando minha equipe na hora certa. Espero que domingo (2) possa sair um ou dois gols para ajudar na nossa classificação, num jogo bastante difícil contra o Gurupi”, projetou o atacante.

    A receita para a fase artilheira? Weverton diz não ter segredo, apenas muito trabalho, dedicação aos treinamentos e principalmente sequência, algo que o jogador não havia tido nas últimas temporadas. Só em 2017 foram 21 jogos disputados com a camisa alvirrubra, entre Copa do Brasil, Campeonato Amazonense e Série D, número infinitamente superior ao dos anos anteriores.

    “Só tenho a agradecer ao Alberone, que tem me dado total confiança, total liberdade ali no ataque do Princesa, e eu acho que é por isso que os gols estão saindo. Estou jogando sem medo de errar e estou numa fase boa, que dá onde estou chutando a bola está entrando. O técnico me deu total liberdade e confiança para fazer o que eu quiser dentro de campo e acho que é por isso que as coisas estão acontecendo”, avaliou o jogador.

    Veloz e Hábil 

    Apesar da excelente média de gols na primeira fase da Série D, Weverton não é um autêntico camisa 9. Com 1,65 metros de altura, o amazonense tem na velocidade e na habilidade suas principais armas. Nem de centroavante joga: o camisa 20 alvirrubro atua aberto pelo lado direito e tem a obrigação defensiva de acompanhar na marcação o lateral-esquerdo ou volante rival até a linha que divide o campo.

    “Do meio do campo para frente, tenho total liberdade de ir para cima do adversário, de arriscar, tentar uma jogada individual. O Alberone tem me dado essa confiança e é isso que está me motivando, é isso que está me deixando bem à vontade dentro de campo. Graças a Deus estou correspondendo a altura, dando resultado para ele e para o clube, e é isso que importa”, comemorou Weverton.

    Bom na bola parada

    Dos seis gols anotados pelo atacante alvirrubro na Série D, dois foram em cobranças de penalidades máximas. A bola parada, aliás, tem sido uma das responsabilidades do jogador no Princesa desde que o meia Michell Parintins saiu da equipe, às vésperas do início do certame nacional. O camisa 20 agora é quem bate escanteios, faltas e pênaltis, o que vem lhe dando um justo protagonismo técnico na “Terra da Ciranda”.

    O torcedor amazonense – não somente do Tubarão – espera que a boa fase de Weverton culmine no acesso do clube à Série C do Campeonato Brasileiro. No próximo domingo (2), o único representante do futebol masculino do Estado em atividade recebe o Gurupi-TO, no estádio Gilberto Mestrinho, o Gilbertão, em Manacapuru (AM), às 16h (de Manaus), no duelo de ida da fase 32 avos da última divisão nacional.

    André Tobias
    EM TEMPO