Fonte: OpenWeather

    FCecon


    Mutirão para o rastreio do câncer de próstata beneficia centenas de homens no AM

    Mais de 200 homens, com idade entre 45 e 75 anos, foram avaliados pela equipe médica da instituição

    Jonas do Amaral Correa faz acompanhamento desde 2007 para prevenção de câncer de próstata | Foto: Divulgação

    A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade vinculada à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), realizou durante todo o sábado (11), um mutirão de consultas gratuitas da especialidade de urologia. Em torno de 220 homens, com idade entre 45 e 75 anos, foram avaliados pela equipe médica da instituição, com o suporte das Ligas Acadêmicas de Urologia e de Oncologia, além de profissionais de diversos setores da unidade hospitalar.

    O mutirão faz parte do cronograma de ações do Governo do Amazonas e da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) dentro da campanha Novembro Azul. Uma palestra foi realizada para os pacientes, antes do início das consultas.

    Leia também: Chuva e correria marcam segundo dia do Enem 2017 em Manaus

    “A campanha reforça os cuidados com a saúde do homem e destaca a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata, o mais incidente na população masculina do Estado”, explicou a diretora-presidente da Fundação Cecon, engenheira biomédica, Ana Paula Lemes.

    Inicialmente, 150 vagas estavam previstas para serem ofertadas durante a ação, cujo cadastramento foi realizado previamente. Com a grande procura por consultas na unidade hospitalar, o número foi ampliado para 220, com expectativa de aumento no próximo ano. A Fcecon também está planejando a expansão de mutirão, como o de sábado, para municípios do interior.

    “A nossa rotina não inclui consultas de rastreio, por sermos uma unidade de tratamento terciário (alta complexidade). Mas, anualmente, abrimos uma exceção, para chamar a atenção da população masculina sobre a importância dos exames periódicos, como o de toque retal, a partir da faixa etária preconizada pelo Ministério da Saúde, que é de 50 anos, à exceção de pessoas com histórico na família ou da raça negra, que têm maior probabilidade de desenvolver a doença. Para elas, a indicação é a partir dos 45 anos. O mesmo serve para o exame de dosagem do PSA (através da análise sanguínea)”, destacou o gerente do Serviço de Urologia da FCecon, Thiago Padilha.

    Jonas do Amaral Correa, que disse fazer acompanhamento desde 2007 para prevenção de câncer de próstata, ressalta que a ação do FCecon o motivou ainda mais a fazer consulta anualmente. “Participei desde o ano passado e achei maravilhoso este ano, com a ampliação de vagas. Sobre as palestras, cada ano aprendemos uma coisa nova”, disse.

    A atividade realizada na FCecon faz parte de um projeto elaborado pelo urologista Cristiano Paiva, pesquisador da unidade hospitalar. Para o mutirão, cerca de 70 profissionais e acadêmicos foram mobilizados. A projeção mais recente do Instituto Nacional do Câncer (Inca), subordinado ao Ministério da Saúde (MS), aponta que o Amazonas deve registrar, neste ano, 520 diagnósticos de câncer de próstata, dos quais 330, só na capital.

    Câncer de próstata

    A próstata é uma glândula localizada abaixo da bexiga e na frente do reto. O câncer de próstata (em geral, adenocarcinoma) se desenvolve através das células glandulares, as que produzem o sêmen. Trata-se do segundo câncer que mais mata homens no Brasil, perdendo apenas para o câncer de pulmão.

    Conforme o gerente do Serviço de Urologia da FCecon, Thiago Padilha, o desenvolvimento do câncer de próstata não está relacionado diretamente a fatores ambientais e, sim, ao envelhecimento da população masculina. “Trata-se de uma doença de evolução lenta, assintomática e que não é previsível. Por isso, é preciso enfatizar o diagnóstico precoce como elemento essencial para a cura”, destacou Padilha.

    O tratamento pode ser cirúrgico, radioterápico ou multimodal, associando diversas terapias. Padilha alerta que alguns sintomas podem indicar a suspeita de um câncer na próstata, mas em estágio avançado. Entre eles, estão: dor lombar, dificuldade para andar, perda de peso, dor na região perineal com dificuldade de urinar, retenção urinária e insuficiência renal.

    Além das consultas, os pacientes receberam lanches e brindes doados pela Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc).

    Leia mais

    Ministro da Defesa participa de exercícios militares na Amazônia

    Crianças saem de casa e não voltam mais

    Mega-Sena acumula e pode pagar R$29 milhões na próxima quinta (16)