Fonte: OpenWeather

    Mobilidade urbana


    'Estamos preparados para trabalhar' diz guardador de carro sobre 'Zona Azul' em Manaus

    Trabalhadores serão capacitados para atuar como monitores nas zonas de implantação do projeto

    O projeto, que antes abrangia apenas a área do centro, foi estendido e agora contemplará outros bairros como Educandos, Parque 10 e Ponta Negra.
    O projeto, que antes abrangia apenas a área do centro, foi estendido e agora contemplará outros bairros como Educandos, Parque 10 e Ponta Negra. | Foto: Divulgação

    O projeto do sistema de estacionamento rotativo de Manaus, que disponibilizará 3,2 mil vagas regulamentadas e pagas, apenas nas ruas do centro da cidade, conhecido como Zona Azul, continua sem data definida para ser implantado. 


    Um dos principais grupos que serão afetados com a mudança, são os guardadores de carros que trabalham na região.Apenas aqueles que forem cadastrados pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) poderão exercer a atividade, após regulamentação.

    Os guardadores de carros passarão por um processo seletivo e treinamento para estarem aptos a trabalhar como monitores nas áreas de Zona Azul
    Os guardadores de carros passarão por um processo seletivo e treinamento para estarem aptos a trabalhar como monitores nas áreas de Zona Azul | Foto: Márcio Melo


    “O projeto não acaba com os flanelinhas. Os guardadores passarão por um processo de seleção e serão mantidos no projeto para atuar como colaboradores do sistema de estacionamento”, informou o Manaustrans, por meio de nota. 

    Leia também: Motorola anuncia primeiro tablet em cinco anos; conheça o Moto Tab

    Segundo o presidente da Associação de Guardadores e Lavadores de Veículos do Amazonas (Aglevam), Henrique dos Santos, 50 guardadores de carros já passaram pelo processo de entrevista e treinamento para trabalhar como monitores na Zona Azul. Ainda segundo o presidente, a classe está acompanhando de perto as decisões tomadas pela empresa responsável pelo projeto.

    “Estamos todos preparados para trabalhar e atentos ao andamento do projeto, acompanhamos todos os passos da empresa, não deixaremos que nenhum dos profissionais que já trabalha na área fique desamparado”, fala Santos, segundo ele existem guardadores com mais de 30 anos de atuação que devem ser regularizados pela concessionária.

    O projeto, que antes abrangia apenas a área do centro, foi estendido e agora contemplará outros bairros como Educandos, Parque 10 e Ponta Negra.
    O projeto, que antes abrangia apenas a área do centro, foi estendido e agora contemplará outros bairros como Educandos, Parque 10 e Ponta Negra. | Foto: Divulgação

    Em trâmite desde 2010, o projeto já passou por algumas avaliações e deve sofrer novas alterações. A medida também  foi estendida e deve abranger outras zonas da cidade.

     
    A respeito da implantação do projeto, o diretor-presidente do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), Franklin Pinto, explica que a responsabilidade cabe à empresa ganhadora do processo licitatório, a Concessionária Amazonas.

    A concessionária alega que é necessário fazer um novo estudo pelo município para que a abrangência do sistema atenda a população de forma mais ampla.

    Em nota, o Manaustrans explica que a equipe envolvida no projeto estuda a ampliação do sistema de estacionamento rotativo para outros pontos da cidade. Quando todas as fases estiverem concluídas, a Prefeitura de Manaus fará ampla divulgação sobre os procedimentos para a utilização do Zona Azul.

    Leia mais: 

    Provas para estágio no TCE-AM marcadas para próximo domingo

    Gabarito oficial do Enem 2017 é divulgado

    Pronatec abre novas vagas para cursos de EAD