Fonte: OpenWeather

    Tumulto no AM Sub-18


    Presidente do Sul América acusa treinador do Nacional de agressão

    Para o presidente do Sul América, Luís Costa, o treinador adversário deveria ter apaziguado seus jogadores

    O treinador do Naça, o ex-jogador Garanha é acusado de ter agredido o jogador adversário | Foto: Divulgação/FAF

    O que poderia ter sido uma grande final entre as duas melhores equipes do Campeonato Amazonense Sub-18 no último fim de semana, foi marcado por agressões a um jogador do Sul América e depois, por uma confusão generalizada entre as duas equipes (Nacional e Sul América).

    Tudo começou após a comemoração do segundo gol marcado pelo Sulão (2 a 0), já nos acréscimos. As cenas e imagens registradas foram manchetes na mídia nacional de forma negativa.

    Os acusados pelos fatos, no caso, os jogadores de ambas as equipes, foram citados em súmula pelo assistente da arbitragem. O treinador do Naça, o ex-jogador Garanha, acusado de ter agredido o jogador adversário, também vai a julgamento na sessão da 1ª Comissão Disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) na próxima segunda-feira (11), a partir das 17h, na sede do órgão localizada no bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul de Manaus.

    Leia também: Conheça sua pisada: teste pode evitar dores e lesões na prática da corrida 

    Para o presidente do Sul América, Luís Costa, quem deveria acalmar os jogadores de sua equipe, segundo ele, foi um dos agressores ao atleta de seu time. Ele lamentou a situação, mas disse que espera por justiça.

    De acordo com técnico Garanha, houve primeiro uma agressão do adversário em cima dele
    De acordo com técnico Garanha, houve primeiro uma agressão do adversário em cima dele | Foto: Assessoria/FAF

    “Foi o Garança que foi o pivô de tudo, até porque ele era o comandante maior naquele momento do time dele. Ele tinha que apaziguar e não fazer o que fez. Lamentável aquelas cenas em campo, infelizmente estou muito triste, porque querem justificar o injustificável. Na vida nada justifica a violência, nada. As pessoas estão olhando muito com coração e não com a razão”, lamentou.

    Segundo Luís Costa, no momento da comemoração do segundo gol, os jogadores tiveram que passar em frente do banco do Nacional, mas não chegaram a provocar a equipe adversária, e sim festejaram o título com o gol marcado.

    “A torcida do Sul América estava em cima do banco do Nacional. Se alguém ver a imagem, o jogador abre os braços chamando a alegria da torcida. Se houve algum gesto que não agradou alguém, não justifica a agressão. Se for ver outro vídeo, tem 14 ou 15 jogadores do Nacional contra seis ou sete atletas do Sulão. A comissão técnica toda e os jogadores”, disse.

    Versão

    De acordo com técnico Garanha, houve primeiro uma agressão do adversário com ele. Segundo o comandante azulino, logo após a comemoração dos jogadores do Sul América em frente ao seu banco de reservas, ele foi em direção ao treinador adversário para pedir respeito.

    “Quando o Sulão fez o segundo gol, fui me sentar no banco e baixei a cabeça, mas quando levantei vi o atleta sem a camisa e fazendo um gesto obsceno em minha direção. Fui atrás dele com a intenção de pedir respeito, pois meus atletas não tinham mais condições. Esse mesmo atleta, foi em direção ao Marcelo Galvão (treinador do Sul América). Questionei para ter respeito ao clube quando veio a agressão por trás. Foi quando perdi o controle naquele momento”, justificou. 

    Garanha disse que está juntando provas do dia do ocorrido para poder se defender. "Além disso, sobre os acréscimos da arbitragem, tenho certeza que foi mais na frente e não como está na súmula. Estamos procurando a narração do jogo para confirmar. Essa súmula não está com seu conteúdo verdadeiro”, disse.

    Leia mais: 

    J. Hawilla diz que Teixeira recebeu propina para seleção ter força máxima na Copa América

    Prefeitura promove Seminário de Diagnóstico e Manejo Clínico da Tuberculose Pediátrica

    Conheça sua pisada: teste pode evitar dores e lesões na prática da corrida