Fonte: OpenWeather

    Alterações Psicológicos


    Caso Spitzner: anabolizante aumenta agressividade e pode levar à morte

    Especialistas apontam relação direta de mau uso do medicamento com casos de agressividade. Tatiane contou que o marido passou a ser agressivo após fazer uso do produto

    Imagens de câmera de segurança mostram Luis agredindo Tatiane na madrugada em que ela foi morta | Foto: Divulgação

    Manaus – O caso da advogada Tatiane Spitzner, morta na madrugada do dia 22 de julho após ser jogada do 4ª andar de um prédio pelo próprio marido, chocou o país. As imagens das câmeras de segurança do condomínio em que o casal morava, mostram a agressividade de Luis Felipe Manvailer. Ele espancou a mulher diversas vezes, que ainda tentou fugir antes de cair do 4º andar.

    Um dos detalhes que chama a atenção é que Luis Felipe utilizava anabolizantes para aumentar a musculatura. Vários esteroides foram encontrados pela polícia no apartamento do casal. Esse detalhe foi incluído no inquérito e familiares e amigos próximos do casal relatam que Luis Felipe tinha explosões de agressividade recorrentes e já havia agredido a esposa outras vezes.

    A mudança de comportamento de Luis foi confidenciada por Tatiane a uma amiga por mensagens no WhatsApp e ascende um alerta sobre o uso desregulado do medicamento, que mexe diretamente com os hormônios.

    Tatiane Spitzner enviou mensagens à amiga confidenciando agressões que sofria do marido. Ela também falou sobre mudança de comportamento por uso de anabolizantes
    Tatiane Spitzner enviou mensagens à amiga confidenciando agressões que sofria do marido. Ela também falou sobre mudança de comportamento por uso de anabolizantes | Foto: Divulgação


    Segundo o profissional de Educação Física e personal trainer, Charles Alves, o anabolizante facilita a produção de massa muscular e, por isso, causa um resultado rápido. Entretanto, ele alerta para os riscos desse procedimento.

    “É muito comum a procura por anabolizantes na academia. Eu não recomendo para os meus clientes, pois esse medicamento altera os hormônios”.

    Ainda conforme Alves, o anabolizante não é uma opção adequada para quem quer ganhar massa muscular de forma saudável.

    “Pela minha experiência, o medicamento de anabolizante é usado mais por pessoas que não têm condições de ir ao médico e que fazem as coisas de qualquer jeito. Aí as consequências vêm. O médico só vai prescrever o remédio se a pessoa realmente necessitar”, afirmou.

    Os especialistas recomendam que as pessoas não se automediquem com anabolizantes. Isso porque sem o acompanhamento adequado de especialistas, o organismo pode desenvolver efeitos colaterais graves, como explica a nutricionista Elisângela Hitomi.

    “O anabolizante altera os hormônios e pode causar problemas no fígado, pois sobrecarrega a função do órgão. Também pode ocasionar doenças cardiovasculares e impotência sexual. Em muitos casos, a pessoa fica mais nervosa e apresenta alteração na voz”, pontuou a especialista.

    Estudo correlaciona uso indiscriminado de anabolizantes a transtornos psicológicos
    Estudo correlaciona uso indiscriminado de anabolizantes a transtornos psicológicos | Foto: Divulgação


    Artigo científico

    À imprensa, o pai de Tatiane, Jorge Spitzner, afirmou que o homem usava doses excessivas de anabolizantes, quantidade bem acima da dosagem que o médico havia prescrito e a massa muscular dele teria aumentado significativamente nos últimos tempos.

    Juntamente com a grande quantidade de anabolizantes, Luis vinha apresentando desvios de comportamento e explosões de agressividade. Porém, será que as alterações de comportamento podem ter ligação com o uso excessivo de anabolizantes?

    Um artigo publicado em 2005, na revista Ciência e Cognição, descreve os efeitos psicológicos causados pelo abuso dos anabolizantes. O estudo, intitulado "Efeitos psicológicos do abuso de anabolizantes", faz relação direta entre o uso excessivo do medicamento com casos de agressividade.

    Conforme o artigo, um estudo amplo, realizado com jovens usuários de anabolizantes nos Estados Unidos, apontou que 25% dos indivíduos sofriam algum tipo de transtorno de humor.

    Leia também: Advogada morta em Guarapuava pode ter sido asfixiada, aponta laudo

    Os autores do estudo apontam a correlação entre o uso indiscriminado dos anabolizantes com atos agressivos em geral. O artigo ainda classifica em três subdivisões os efeitos imediatos do mau uso. A primeira subdivisão mostra que além das alterações fisiológicas, os usuários apresentam irritação, raiva e agitação, efeitos ligados a mudança de humor e euforia.

    A segunda e a terceira subdivisão do mau uso de anabolizantes classificam usuários que utilizam o medicamento de forma prolongada e em doses exageradas. Entre os efeitos mencionados está o comportamento desinibido, com alterações ainda mais acentuadas de humor.

    A terceira categoria mostra que os efeitos se agravam por haver evolução da agressividade para comportamentos violentos, hostilidade e comportamento antissocial. O artigo aponta ainda que alguns crimes como homicídio, suicídio e abuso infantil são consequências dos acessos de fúria.

    Agressividade é um dos principais efeitos colaterais causados pelo uso excessivo de anabolizantes
    Agressividade é um dos principais efeitos colaterais causados pelo uso excessivo de anabolizantes | Foto: Divulgação

    Efeitos psicológicos

    Até pouco tempo, transtornos relacionados a alterações de imagem corporal se faziam presentes apenas nas mulheres, mas - atualmente - o público masculino também passou a se preocupar mais com os padrões de aparência física. A psicóloga especialista em terapia cognitivo-comportamental, Ally Kercia Rodrigues, explicou como isso acontece.

    “Há um desejo nos homens de se tornarem mais fortes e musculosos. Logo, muitos fazem uso indiscriminado de anabolizantes. O narcisismo patológico também é um comportamento identificado em usuários dependentes de anabolizantes", disse a profissional.

    A especialista afirmou que há relação direta com a agressividade. “Nos estudos sobre o uso de anabolizante, a agressividade é o efeito mais citado”, pontuou.

    A especialista afirma que é possível evitar a agressividade fazendo exames corretamente, tendo acompanhamento e evitando o uso do medicamento. Pois, a partir do momento que o uso do anabolizante é feito de forma incorreta, haverá efeitos colaterais.

    É recomendado que pessoas que apresentem desvios de comportamento, devem fazer acompanhamento psicológico.

    “O psicólogo vai avaliar o indivíduo e usar ferramentas e intervenções para o caso. Também é indicado acompanhamento com psiquiatra para possível medicação”, disse. A especialista ainda destacou que o apoio da família do paciente é fundamental para a sua recuperação.

    Pauta e edição: Bruna Souza

    Leia mais:

    Atividade física pode prevenir até 10 mil casos de câncer no Brasil

    Suco Detox emagrece? Saiba os benefícios da bebida e o modo de preparo

    Colesterol alto atinge mais da metade da população brasileira