Fonte: OpenWeather

    Imunização


    Casos de sarampo acendem alerta para vacinação em Manaus

    Veja dicas importantes para tirar dúvidas sobre a prevenção contra a doença

    A vacinação contra o sarampo é realizada nas 185 salas de vacina, sendo 183 nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município e duas particulares. | Foto: Márcio Melo

    Manaus – Que tal iniciar a semana com a caderneta de vacinação em dia? Nesta semana, Manaus foi surpreendida com a notificação de quatro casos de suspeita de sarampo e a doença, contagiosa e muito comum na primeira infância, deve ser prevenida com vacina, disponível gratuitamente em unidades de saúde da cidade.  

    Em Manaus, desde o início de março, a prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, está intensificando a vacinação contra o sarampo em todas as 185 salas de vacina, sendo 183 nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município e em duas particulares.

    Leia também: Manaus tem mais um caso de suspeita de sarampo em criança

    | Foto: Divulgação

    A coordenação estadual do Programa Nacional de Imunização (PNI) informou que o Estado possui estoque suficiente da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba. 

    “Temos hoje, em estoque, cerca de 60 mil doses da vacina para atender os municípios do Estado. Disponibilizamos 30 mil para o município de Manaus, que já estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde”, explicou o presidente da Fundação em Vigilância em Saúde (FVS) Bernadino Albuquerque.

    Segundo o órgão da saúde, a primeira dose da vacina tríplice viral deve ser aplicada aos doze meses de idade. Uma segunda dose, a tetraviral, deve ser aplicada aos 15 meses de idade. Na faixa-etária de 2 a 29 anos, recomenda-se administrar duas doses da tríplice viral e, de 30 a 49 anos, uma dose da tríplice viral, para quem não tiver comprovante de vacinação.

    Dúvidas frequentes

    Garantir que a vacinação está em dia é especialmente importante neste período do ano para moradores da região amazônica, quando as estações chuvosas cessam e as temperatura se elevam, ambiente propício para agravar o surgimento de casos de caxumba, rubéola e sarampo.

    Mas, se você tem mais de 13 anos, há grandes chances de você não estar totalmente imunizado. Veja as dicas.

    Quais vacinas posso tomar?

    As orientações valem para ambos os sexos, não-vacinados ou sem comprovação de vacinação: quem têm entre 13 e 20 anos pode tomar gratuitamente no posto de saúde duas doses da tríplice viral (contra rubéola, sarampo e caxumba), hepatite B, difteria, tétano (dupla bacteriana) e febre amarela (para quem viaja para regiões onde a doença é endêmica).

    Quem tem entre 20 e 49 anos, pode tomar uma dose da tríplice viral e as demais citadas. Quem tem mais de 50 anos pode procurar clínicas privadas, mas provavelmente foi imunizado naturalmente, já que nasceram em época em que as doenças eram muito frequentes.

    Preciso tomar mais de uma dose da tríplice?

    Só é considerado imunizado contra rubéola, sarampo e caxumba quem tomou duas doses da tríplice viral, mas quem tomou uma dose está parcialmente protegido.

    A eficácia da vacina é de 80% a 90% para uma dose e de 95% para duas. Como a maioria dos adultos tomou uma dose quando criança, a única dose oferecida nas unidades de saúde é suficiente.

    Em 2010, as duas doses da tríplice foram disponibilizadas para jovens até 19 anos, então vale checar se você já atualizou a caderneta. Existe ainda um exame que indica se a pessoa está imunizada ou não.

    E se eu já tomei duas doses e me vacinar novamente? 

    Há adultos que já tomaram as doses necessárias, mas não lembram e não têm o registro, ou que contraíram a doença sem saber. Mesmo nesses casos, não há nenhum problema em tomar a vacina. Uma dose a mais não faz mal. São consideradas doses válidas apenas as registradas na caderneta de vacinação

    Há contra-indicações?

    A tríplice viral é feita com vírus vivos atenuados, que raramente causam formas graves das doenças. Mas ela é contra-indicada para bebês com menos de seis meses, gestantes, imunocomprometidos (portadores de HIV com baixa imunidade, por exemplo) ou quem usa corticosteroide (medicamentos que tratam inflamações) de forma crônica.

    Estou grávida, posso tomar a dose?

    A vacina que protege contra rubéola, sarampo e caxumba não é recomendada para gestantes, e quem toma a vacina deve evitar a gravidez por pelo menos um mês. Essas doenças trazem risco à gravidez. A rubéola, por exemplo, pode infectar o feto. A mulher que não tomou a vacina na infância deve tomar antes de pensar em ter filho ou pode aproveitar a vacinação do seu bebê para atualizar a caderneta.

    É importante procurar informação nos postos de saúde para mais informações. 

    Edição: Lívia Nadjanara

    Leia mais:

    Maternidade Moura Tapajóz coleta de leite materno em domicilio

    Uninorte abre agendamento para exames fonoaudiológicos gratuitos

    Mulheres mutirões de serviços estarão disponíveis nesta quinta (8)