Fonte: OpenWeather

    Mais vivo do que nunca


    'Falta de profissionalismo', diz Aderbal Lana após jornalista noticiar sua morte em Manaus

    Treinador disse que o responsável pela publicação causou uma situação incômoda

    Lana lamentou que portal de comunicação tenha noticiado sua morte. | Foto: Arquivo AET

    "Estou revoltado, indignado. Isso é falta de profissionalismo". Assim definiu o treinador Aderbal Lana, de 70 anos, ao saber de uma notícia veiculada em um jornal da cidade, citando que ele receberia um Título de Cidadão do Amazonas, alusivo à sua morte na semana passada, quando na verdade, ele está bem de saúde e mais vivo do que nunca.

    Considerado o maior vencedor do futebol amazonense na conquista de títulos, o experiente técnico, que nasceu em Uberlândia-MG, lembrou que, na verdade, quem morreu foi o ícone do futebol local, Amadeu Teixeira, um dos fundadores do América e recordista mundial a frente do mesmo time de futebol por mais de 50 anos.

    Leia também: Flamengo soma derrotas e tem aproveitamento de rebaixado fora de casa 

    Para Aderbal Lana, a imprensa amazonense precisa ter mais cuidado com o que vai publicar. Segundo ele, é inadmissível um veículo noticiar qualquer informação sem antes apurar como deve ser feito.

    “Eu briguei e falei com os caras (jornalistas). O Amadeu Teixeira morreu há uma semana e ele não era de Minas Gerais, como eles colocaram no jornal. Isso mostra como a maioria dos jornalistas de hoje correm atrás de notícias sensacionalistas só para vender jornal ou ganhar nome. Isso não é coisa que se faça. As pessoas não podem divulgar uma notícia dessa sem ter uma confirmação”, bravejou.

    Apesar da situação incômoda, Lana disse que não vai tomar nenhuma medida judicial, porque não quer polêmica, no entanto, ele ressaltou que foi um fato lamentável de quem publicou a notícia.

    “A imprensa tem que ser mais profissional, e procurar buscar as notícias reais, verídicas e honestas, e não escrever qualquer coisa. Qualquer veículo de comunicação é formador de opinião. Tem que ter mais responsabilidade para dar uma notícia dessa ou qualquer outra”, reclamou, mas ficou preocupado com os familiares que moram em outras cidades sobre o episódio.

    “Tenho família fora de Manaus, foi uma correria danada. Todo mundo me ligando, todo mundo preocupado, não é assim não. Meus filhos lá de Goiás ligaram, tenho filhos e ex-mulher que é minha amiga, além disso, tenho irmãos por todo o Brasil. Eles ficaram muito preocupados com tudo isso”, lamenta. 


    Leia mais:


    Amazonense Cícero Barbosa disputa GP Brasil de Kart Indoor em Minas Gerais

    ParaCopaSesc reúne atividades para integrar público com e sem deficiência

    No Dia Mundial do Diabetes, saiba a importância do diagnóstico precoce